Artigos

Tique-taque, e mais um problema de dados aparece

Celular ao lado de fones de ouvidos e na tela há vários aplicativos instalados e o TikTok em destaque

Desenvolvido na China, a rede social TikTok tem conquistado cada vez mais usuários ao redor do mundo. A plataforma de vídeos curtos permite que as pessoas criem o seu próprio conteúdo, como clipes de danças, dublagens e todo o tipo de humor. No entanto, os problemas com dados no TikTok trazem preocupações para aqueles que zelam pela segurança das suas informações pessoais. 

Instituições relacionadas à segurança de dados na internet estão dando alerta vermelho em diversos países sobre um possível roubo de dados praticado pela plataforma queridinha do momento. Entender como isso pode acontecer e qual é o posicionamento da empresa é fundamental para manter-se protegido.

Bilhões de TikTokers ameaçados?

De acordo com o DataReportal, o TikTok tem 800 milhões de usuários, o que o coloca como a nona rede social mais popular do mundo. Trata-se de um dos aplicativos mais baixados na Apple App Store e Google Play que, juntas, somam 2 bilhões de downloads.

Cerca de 41% dos usuários da rede social têm entre 16 e 24 anos de idade e a explicação para esse grande engajamento entre os jovens é bastante simples­­: os desenvolvedores da plataforma a projetaram para uma audiência abaixo dos 18 anos. 

Ainda segundo o DataReportal, a maioria dos usuários do TikTok está na Ásia, seu continente de origem. Porém, a rede também alcança números memoráveis em outros locais. Os Estados Unidos são o terceiro país com o maior número de ativos na plataforma, apresentando 196 milhões deles. A Sensor Tower aponta que o aplicativo foi baixado mais de 65 milhões de vezes no Brasil.

O que faz a plataforma ser um sucesso? Diferentemente do seu principal concorrente — o Instagram, que se baseia em life style (estilo de vida) — o TikTok é uma rede social de entretenimento, em que os usuários podem se divertir assistindo aos vídeos de outras pessoas ou criar o seu próprio conteúdo

Como os dados dos usuários podem ser roubados?

As alegações sobre a falta de segurança da rede social dizem que os vídeos da plataforma dão close no rosto das pessoas, o que possibilita que a empresa colete dados biométricos dos usuários, e esses conteúdos seriam transferidos para outros domínios antes que o próprio dono da conta possa salvá-los ou os publicar. 

As informações coletadas e, em teoria, enviadas para os servidores chineses compreendem contatos de redes sociais, número de telefone, endereço IP, endereços de e-mail, localização, entre outros dados. 

A empresa dona do TikTok, ByteDance, supostamente utiliza meios diferentes para ocultar a transferência de dados do usuário, podendo coletá-los até mesmo quando o aplicativo está fechado. Todas essas atividades configuram invasão de privacidade e espionagem. 

TikTok está no olho do furacão

Os problemas envolvendo a falta de segurança de dados no TikTok estão surgindo de todos os lados. Recentemente, o grupo de hackers Anonymous fez uma publicação em seu perfil oficial do Twitter alertando sobre os perigos da plataforma quanto ao uso indevido de informações pessoais.

A partir daí, as autoridades dos Estados Unidos iniciaram uma investigação para averiguar as ações da rede social em seu país, procurando por possíveis vulnerabilidades e irregularidades. A preocupação também chegou à Austrália, que está analisando a conduta do aplicativo de vídeos.

Segundo a Korea Communications Commission (KCC), a empresa foi multada em 5,54 milhões de dólares na Coreia do Sul por colher dados de usuários menores de 14 anos de idades sem a autorização dos seus representantes legais. 

Além disso, em 2019, a empresa de cibersegurança de Israel, Checkpoint, revelou que o TikTok tinha falhas que facilitavam o roubo e manipulação das informações dos seus usuários. A plataforma afirma já ter corrigido tais vulnerabilidades. 

 O que a empresa diz sobre o assunto

As alegações referentes à falta de segurança de dados não estão sendo ignoradas pela rede social. Em uma entrevista ao jornal ‘’20 minutos’’, da Espanha, a empresa afirmou que leva todas essas questões muito a sério e, por isso, está fazendo uma revisão do aplicativo. Menciona, inclusive, que a sua equipe de segurança trabalha continuamente para identificar e corrigir eventuais falhas.

Nos últimos meses, a empresa tem se esforçado para tornar as suas ações mais transparentes diante de seus usuários. Entre as suas medidas está a adoção de práticas de seguranças robustas, bem como permitir que empresas externas façam uma auditoria da sua tecnologia. 

Os Estados Unidos são um dos países mais combativos ao TikTok, porém até agora não apresentou evidências ou provas contundentes sobre as acusações que faz ao aplicativo. Assim sendo, Roland Cloutier, chefe global de segurança da plataforma, diz que pode se manifestar somente sobre fatos. Ele enfatiza que a empresa tem diversas equipes externas de segurança para testar e validar o produto todos os dias, checando e corrigindo vulnerabilidades. 

No que diz respeito ao destino dos dados dos usuários estadunidenses, a rede social aponta que essas informações são armazenadas nos Estados Unidos. Portanto, esses dados não estão sujeitos às leis da China. 

Não é novidade para ninguém que as plataformas online coletam dados dos seus usuários, ainda mais ao considerar que isso é uma ferramenta comum para viabilizar a venda de publicidade para empresas que desejam anunciar para um público específico.

Contudo, a forma como as informações são coletadas e para qual finalidade elas serão utilizadas são questões de suma importância para a segurança dos usuários. Porém, é necessário que as pessoas interessadas em utilizar a rede social estejam conscientes sobre o uso de dados no TikTok para que saibam com o que estão lidando e, assim, decidam se querem continuar desfrutando dos seus serviços ou não. 

A princípio, o banimento do aplicativo é uma solução drástica, mas é preciso que a empresa contorne esse problema para que os seus usuários possam se divertir e aproveitar todos os seus benefícios sem dores de cabeça no futuro. Para tanto, se faz urgente a necessidade de investimentos em táticas e ferramentas mais transparentes.

O modo como a plataforma vai resolver essa crise pode definir o seu sucesso no mercado, pois o vazamento de dados e problemas com privacidade impactam negativamente as grandes empresas.

Banner de download da 4ª edição da Rock Content MagazinePowered by Rock Convert
Publicações relacionadas
Artigos

Compaixão e liderança vão bem juntas?

Artigos

A Mídia Out-Of-Home durante o coronavírus

Artigos

Nas estratégias de marketing, em que pé está o vídeo?

Artigos

O que sua empresa ganha com eventos patrocinados online