Notícia

Banco Goldman Sachs não vai ajudar empresas a abrir capital a não ser que elas “tenham ao menos um candidato diverso para seu conselho”, diz CEO

Goldman Sachs só apoiará empresas que possuem ao menos uma pessoa diversa em seu conselho

O CEO da Goldman Sachs, David Solomon, disse à CNBC que o banco de investimento, parte de um grupo financeiro multinacional, vai ajudar empresas a abrir capital somente se elas tiverem ao menos um membro diverso em seu conselho.

Solomon disse que, nos últimos quatro anos, a performance de abertura de capital das empresas estadunidenses com ao menos uma diretora tem sido “significativamente melhor” do que aquelas sem essa diversidade.

“A partir de 1º de julho, nos Estados Unidos e na Europa, nós não ajudaremos uma empresa abrir capital a não ser que ela tenha ao menos um candidato diverso para seu conselho, com foco nas mulheres”, disse Solomon ao Squawk Box da CNBC, direto do Fórum Econômico Mundial em Davos, na Suíça. “E iremos exigir dois membros diversos em 2021”, acrescentou.

Cerca de 60 empresas nos Estados Unidos e na Europa abriram capital recentemente com um conselho composto somente de homens brancos, segundo Solomon.

Leia também

Como os bancos tradicionais podem competir com as fintechs

“Veja, talvez perderemos alguns negócios, mas a longo prazo, esse é o que penso ser o melhor conselho para empresas que querem buscar altos retornos para seus acionistas com o passar do tempo”, falou Solomon.

“Parte do problema é que a maioria dos candidatos a conselhos são selecionados a partir de pessoas que já atuaram como CEOs, CFOs ou diretores de companhias de capital aberto, o que fez as mulheres serem deixadas de fora desses conselhos”, ele disse. Solomon acrescentou que a Goldman, com sua vasta rede de contatos de executivos, pode ajudar os clientes na busca de candidatas, se for necessário. Atualmente, a Goldman tem quatro mulheres em seu conselho formado por 11 pessoas.

“Isso é um exemplo do que sempre dizemos, ‘Como podemos fazer algo que pensamos ser certo e ajudar o mercado avançar?’”, concluiu.

Solomon está à frente do banco nova-iorquino desde outubro de 2018. Espera-se que ele revele uma série de metas financeiras no primeiro dia do investidor da empresa, que acontece no final deste mês.

Este conteúdo é uma tradução e adaptação do texto originalmente produzido pela CNBC.

Publicações relacionadas
Notícia

Nova edição do Frontiers Unlocked, evento da MIT, conta com participação do CEO da Rock Content

Notícia

Frontiers Unlocked — Evento online da MIT Sloan Review Brasil acontece de 5 a 7 de maio

Notícia

Rock Content e Revista HSM convidam Daniel Martins de Barros para webinar ao vivo sobre saúde mental na quarentena

Escolhas do EditorNotícia

Rock Content e MIT Sloan Management Review convidam Silvio Meira para webinar ao vivo sobre liderança digital