Artigos

A educação personalizada por I.A.

Educação personalizada por I.A.

A Inteligência Artificial faz parte do nosso dia a dia. Estamos cercados por ela, desde sistemas de estacionamento automático a robôs de conversação, que tiram dúvidas dos usuários em tempo real. Com tudo isso, não ia demorar muito para a educação personalizada por I.A. ser uma realidade.

Afinal, os métodos tradicionais precisam de um upgrade há muito tempo. Felizmente, o mundo acadêmico está se modernizando, graças às inúmeras aplicações da I.A. na educação.

Existe muito espaço para a Inteligência Artificial na educação 

Hoje, o aluno não é obrigado a frequentar um ambiente físico para estudar, desde que tenha computadores e conexão à internet. Abaixo, há algumas das maneiras pelas quais essas ferramentas estão definindo a experiência educacional do futuro.

Atividades automatizadas

Agora, é possível automatizar a classificação para quase todos os tipos de questões de múltipla escolha e, até mesmo, o registro de notas. A I.A. também permite a automação das tarefas administrativas — isso reduz o tempo necessário de concluir trabalhos e sobra mais para os educadores se dedicarem a outras demandas.

Software adaptado às necessidades do aluno

Uma das principais maneiras pelas quais a inteligência artificial afeta a educação é na qualidade do aprendizado individualizado. Parte disso já está acontecendo, por meio do crescente número de programas, jogos e softwares de aprendizado adaptativo.

Os sistemas respondem às necessidades do aluno, dão mais importância a determinados tópicos e repetem coisas que o usuário não domina. Assim, geralmente, ajudam a gerenciar tudo no seu próprio ritmo.

Faça o download deste post inserindo seu e-mail abaixo

Não se preocupe, não fazemos spam.
Powered by Rock Convert

Maiores chances de aprendizado

Nem sempre os professores estão cientes sobre falhas na abordagem ou materiais educacionais que deixam os alunos confusos diante de alguns conceitos. Nesses casos, a inteligência artificial oferece uma maneira de resolver o problema.

Existem sistemas que, quando um grande número de usuários envia respostas erradas para a mesma atividade, emitem um alerta. A mensagem é personalizada e apresenta dicas para repensar na resposta certa.

Em vez de esperar a correção do professor em outro momento, os alunos recebem feedback imediatamente. Isso é útil para entender e memorizar o conceito, de forma que eles não se esqueçam mais.

Feedback útil a alunos e educadores

Além de ajudar professores e alunos a gerenciar cursos personalizados, de acordo com suas necessidades, a inteligência artificial fornece feedback valioso para ambos sobre o sucesso dos estudos, de maneira geral.

Algumas escolas, especialmente aquelas com ofertas online, estão usando sistemas de monitoramento do progresso dos alunos. Assim, alertam os professores sempre que surgem problemas no desempenho individual.

Aprendizagem livre

Tentativa e erro é uma parte crítica do aprendizado, uma vez que, para muitos estudantes, a ideia de não saber a resposta na frente dos colegas é paralisante. Com um sistema inteligente, ninguém precisa passar por esse constrangimento.

Ele permite experimentar e aprender em um ambiente relativamente livre de julgamento, especialmente quando os tutores de I.A. oferecem soluções para melhoria.

A educação personalizada por I.A. pode estar mais presente

Os sistemas de I.A. influenciam a maneira como vemos e interagimos com as informações. Com base em dados históricos, o Google nos mostra diferentes resultados de pesquisa, a Amazon exibe produtos diferentes, a Netflix recomenda filmes devido nossas preferências etc.

A educação personalizada com intervenção da tecnologia é mais bem-sucedida, porque evita que todos aprendam as mesmas coisas do mesmo modo, como se fossem robôs. Permite uma melhor experiência de aprendizado, que é um fator importante no mercado competitivo de e-learning. 

Sendo assim, a motivação dos alunos permanece alta, já que o conteúdo é planejado para as necessidades deles. É possível implementar esse recurso em qualquer tipo de curso, independentemente se o objetivo é aprimorar as habilidades profissionais, o ensino superior ou o autodesenvolvimento.

Muitos estudantes acham que o ritmo ruim dos cursos online é um problema. Mas o aprendizado personalizado resolve essa questão, pois se adapta aos anseios individuais do aluno. O aprendizado adaptativo dá maior ênfase a determinados tópicos, repete as coisas que ele precisa aperfeiçoar, entre outros benefícios.

Assim como a Netflix recomenda filmes, a I.A. na educação analisa os dados dos alunos para sugerir o que eles devem aprender. O sistema de recomendações contribui para a satisfação do aluno com o curso. Além disso, é um incentivo a mais para se inscrever em outros.

Há benefícios e problemas nessa aproximação

É esperado que a pesquisa em I.A. na educação aumente nos próximos anos. Mas vale a pena pensar nas dificuldades que o setor educacional tem, no sentido de fazer um balanço de maneira significativa tanto para prática quanto para a elaboração de políticas.

A tecnologia abre muitas preocupações éticas com relação ao acesso ao sistema educacional, como concentração de dados pessoais, responsabilidade, impacto no trabalho, privacidade de dados e propriedade de algoritmos de alimentação de dados. A regulamentação da I.A. ​​exigirá discussão pública sobre ética, responsabilidade, transparência e segurança.

Além disso, os professores devem aprender novas habilidades digitais para usar as ferramentas de maneira pedagógica e significativa. Também vale para os desenvolvedores, que precisam saber como os professores trabalham e criar soluções sustentáveis ​​nos ambientes da vida real.

Outro ponto que deve ser levado em conta é a importância de garantir a inclusão na I.A educacional. Os países menos desenvolvidos correm o risco de sofrer novas divisões tecnológicas, econômicas e sociais com a evolução dessa tecnologia.

Alguns obstáculos principais, como infraestrutura tecnológica básica, devem ser enfrentados para estabelecer as condições básicas para a implementação de novas estratégias que tiram vantagem da I.A. ​​para melhorar o aprendizado.

Como grandes empresas têm ajudado

No distrito escolar de Putnam County, na Flórida, os educadores aproveitaram o novo software de monitoramento de conteúdo para automatizar o processo de sinalização de pesquisas na internet potencialmente sensíveis. Com ele, adicionam contexto crítico às solicitações sinalizadas. 

Em Nova Jersey, a Slackwood Elementary School usou um assistente de ensino assistido por I.A. chamado Happy Numbers. Ele identifica onde os alunos estão lutando com os padrões de matemática e, assim, fornece assistência personalizada.

Os aplicativos do Microsoft Office usam o poder da nuvem inteligente. Com a inserção de recursos orientados por I.A. nos produtos, existe uma orientação aos os usuários no sentido de melhorar os resultados do aprendizado. 

Isso fica bastante evidente na área de acessibilidade, pois a empresa trabalha para garantir que todos os alunos tenham acesso à tecnologia. Por exemplo, o Presentation Translator é um plug-in gratuito para o PowerPoint que cria legendas do diálogo do professor em tempo real.

Além disso, nos Serviços Cognitivos do Azure, o reconhecimento de fala e a tradução baseados em I.A. permitem que os alunos ouçam ou leiam o que está sendo dito no próprio idioma nativo. Mesmo nas aulas em que o inglês é a única opção, aprendizes surdos ou com deficiência auditiva acompanham as transcrições em tempo real no visor do professor ou na conversa por telefone inteligente

No aplicativo gratuito, é possível traduzir a conversa em mais de 30 idiomas e fazer perguntas por entrada de voz ou teclado, que são opcionalmente exibidas ao lado dos subtítulos do professor. Para os deficientes visuais, o Seeing AI também aproveita o enorme poder computacional da nuvem do Azure para narrar o mundo em voz alta. Uma experiência cada vez mais libertadora.

Gostou do artigo? Aproveite para ler também: Tecnologia de monetização digital para ajudar a expandir negócios das empresas.
Publicações relacionadas
Artigos

AB5, legislação californiana sobre a economia colaborativa, enfrenta ações de grandes companhias

Artigos

Os dados estão na mesa

Artigos

Estratégia de inovação do McDonald’s tem ligação direta com experiência do usuário

Artigos

O quanto as máquinas já aprenderam a escrever textos?