Artigos

O que você vê é o que você recebe

Gráfico 3D

Os dados são vitais para o direcionamento de uma empresa. Por isso, o apuramento e apresentação dessas informações devem ser rigorosos, visto que erros de visualização de dados podem atrapalhar os processos decisórios, de modo a prejudicar o futuro do negócio.

Basicamente, o objetivo da visualização de dados é facilitar a interpretação das informações para que a audiência possa realizar inferências e tomar decisões rápidas e seguras, além de simplificar o processo de identificação de padrões e tendências. No entanto, com tantos métodos e recursos disponíveis, pode haver erros na disponibilização e, consequentemente, no entendimento dos dados.

Para manter esses problemas longe, é fundamental que as visualizações sejam acertadas e com fácil navegação representativa, bem como conhecer e evitar as principais falhas relacionadas ao assunto.

Faça o download deste post inserindo seu e-mail abaixo

Não se preocupe, não fazemos spam.
Powered by Rock Convert

Um gráfico vale mais que mil palavras

Segundo um estudo da Social Science Research Network, 65% das pessoas aprendem melhor por meio de conteúdos visuais. Nesse sentido, a visualização de dados em formato imagético ou gráfico é indispensável para facilitar a compreensão dos números referentes às atividades da empresa. Assim, conceitos difíceis são simplificados.

Um bom planejamento é a base para o crescimento de qualquer empresa. Para isso, é imprescindível contar com dados apurados e disponibilizados corretamente. Independentemente do tema tratado pelo negócio, o gráfico traz informações precisas e que ajudam na construção do futuro do empreendimento.

Isso porque, a partir da visão gráfica, os gestores podem enxergar com mais clareza quais são os resultados, tendências e comportamentos dos seus consumidores, por exemplo. Entre as principais facilidades proporcionadas por um gráfico estão:

  • identificar quais são as áreas que devem receber mais atenção;
  • compreender quais são os fatores que influenciam diretamente nas decisões do consumidor;
  • entender quais são os produtos desejados pelos consumidores e onde devem ser vendidos;
  • saber qual será o volume de vendas para um determinado período.

Ao consultar um gráfico, os executivos podem verificar padrões, deixando de atuar com base no instinto, visto que têm à sua disposição fatos incontestáveis.

Boa visualização, boa tomada de decisão 

Como se sabe, a tomada de decisão é um processo rotineiro nas empresas e que impacta nos resultados, desenvolvimento e futuro delas. Diante disso, as informações são ativos essenciais para as decisões, uma vez que ditam o planejamento estratégico das organizações.

De acordo com o relatório produzido pela Qlik junto a Forbes Insight, 60% das companhias utilizam a Inteligência de Negócio para controlar e promover o crescimento das suas atividades. No entanto, de nada adianta coletar cada vez mais dados, se os gestores não conseguirem interpretá-los adequadamente.

O uso de conteúdos incompletos, dispostos errados ou apresentados em tecnologias obsoletas prejudica a visualização de dados e geram grandes prejuízos. Quanto melhor os dados forem apresentados, mais chances da empresa tomar decisões melhores.

Se bem-feito, esse processo garante que o negócio trabalhe melhor a sua produtividade, competitividade e rentabilidade. Sem falar que essa ferramenta também torna a gestão das tarefas internas mais dinâmica e eficiente.

Quanto se tem dados bem embasados e fáceis de compreender, o gestor pode estudar melhor o cenário atual da empresa, ficando a par de quais são os perigos a serem evitados e quais as oportunidades que deve abraçar.

Erros comuns na visualização de dados

Pequenos erros podem acarretar consequências irreparáveis a curto e longo prazo. Com um pouco mais de cuidado e atenção na apresentação dos dados, pode-se impedir a ocorrência de falhas que interferem na interpretação das informações. Conhecer os equívocos mais cometidos é substancial para não cometê-los.

Inserção de dados desnecessários

Além de significar perda de tempo, a inserção de dados desnecessários em um gráfico também compromete o entendimento das informações.

Os dados colocados no gráfico estão relacionados ao seu tema? São importantes para a audiência que os acessará? Caso a resposta seja não, fica evidente que se tratam de dados irrelevantes e que, portanto, não precisam ser visualizados.

A apresentação de dados inúteis gera perda de tempo não só na sua própria elaboração, mas também nas reuniões em que as informações são disponibilizadas.

Uso de gráficos incorretos

Na atualidade, há uma grande variedade de modelos de gráficos disponíveis para a organização de dados. Considerando isso, há de se escolher o modelo mais apropriado para as informações a serem apresentadas.

Nem todos os participantes de uma reunião são especialistas em estatística, por exemplo. A seleção de um modelo errado de gráfico deixa os espectadores confusos e afeta negativamente a interpretação dos dados.

Falta de objetividade

A função de um gráfico é ser objetivo e facilitar a compreensão dos números sobre um assunto tratado. Visualizações extensas e com excesso de informação acabam se tornando complexas e passíveis de erros.

Não há problema em apresentar múltiplas variáveis em apenas uma visualização de dados. Todavia, é recomendado representá-las em uma única escala para evitar entendimentos dúbios. De modo geral, é necessário que o conteúdo do gráfico seja objetivo e esteja adequado ao seu contexto empresarial.

Falta de precisão dos dados

A coleta e análise de dados imprecisos desencadeiam uma visualização de dados errada. Antes de partir para a etapa de visualização, é preciso utilizar técnicas que permitam uma coleta, limpeza e compilação de informações sem espaço para falhas.

Entre os erros mais comuns, estão a perda de dados, duplicação e valores não numéricos sem marcação. Contar com profissionais especializados e equipamentos específicos é crucial para obter dados precisos.

Adoção de ferramentas erradas

Na era digital, o que não falta são opções de ferramentas para coletar e apresentar dados. Contudo, há alternativas que oferecem visuais bonitos e produzem gráficos modernos, mas não permitem o uso de um conjunto amplo de dados. Já outras são projetadas para viabilizar a visualização de dados em larga escala.

Adotar a ferramenta errada implica na perda de tempo e dinheiro, visto que a mensagem do gráfico será transmitida com ruídos.

Os erros de visualização de dados tornam os gráficos confusos e inúteis. Essa situação causa decisões mal embasadas e ineficazes. O ideal é que a apresentação de dados seja sempre simples e intuitiva, a fim de cumprir com o seu objetivo de auxiliar a audiência na realização do seu trabalho.

Com isso, a organização terá direcionamentos mais seguros, além de mais credibilidade no mercado devido ao fato de se basear em informações condizentes com a realidade.

Para uma visualização de dados mais eficiente, as empresas precisam investir em alfabetização de dados, o que consiste em instruir os seus colaboradores para lidar com a coleta, análise e interpretação de dados.

Banner de download da 4ª edição da Rock Content MagazinePowered by Rock Convert
Publicações relacionadas
Artigos

Compaixão e liderança vão bem juntas?

Artigos

A Mídia Out-Of-Home durante o coronavírus

Artigos

Nas estratégias de marketing, em que pé está o vídeo?

Artigos

O que sua empresa ganha com eventos patrocinados online