Geração Z: estatísticas mostram como os jovens utilizam tecnologias e consomem online

A geração Z é composta por quem nasceu após a década de 1990. Portanto, eles cresceram junto com a tecnologia digital.

Os hábitos de uso das tecnologia se alteram cada dia mais com o passar do tempo. É espantoso o ritmo acelerado das mudanças e da inovação do meio digital.

Os adolescentes representam mais de um quarto da população dos Estados Unidos e anualmente tem um poder de compra de 44 bilhões de dólares.

Além disso, a grande maioria dos adolescentes desta geração já possuem telefones celulares e se comunicam por meio destes.

Ao mesmo tempo, as compras online vêm gradualmente deixando de acontecer em computadores e notebooks, e passando a serem realizadas em smartphones.

Por causa desse avanço inevitável da tecnologia, muitas vezes, é difícil para os marketers acompanharem a mudança de comportamento desta geração.

Pensando nisso, o Think with Google, portal de pesquisa e tendências da Google reuniu dados na reportagem “Gen Z: A Look Inside Its Mobile-First Mindset” para ajudar os profissionais de marketing digital a entender a geração Z e seus comportamentos.

Ela comparou as estatísticas sobre o uso de tecnologia nas gerações mais velhas com o uso por adolescentes americanos de 13 a 17 anos.

Nesse post vamos apresentar os principais dados e quatro considerações desta pesquisa americana sobre estes adolescentes que dominam o mundo digital. Apesar de ela ter sido realizada nos Estados Unidos, é possível trazer vários insights para o contexto brasileiro. Confira!

Faça o download deste post inserindo seu e-mail abaixo

Não se preocupe, não fazemos spam.
Powered by Rock Convert

Os telefones apresentam a Geração Z para o Mundo

A geração Z já nasceu cercada de tecnologia digital, ela se conecta e compartilha suas experiências com o mundo todo.

Sabemos que está prática não é diferente quando o assunto é o mercado digital.

A individualização cada vez maior permitiu um leque de informações personalizadas, fazendo com que este grupo da sociedade apresentasse suas preferências diante a tantas opções.

Um dado interessante é o fato de que ter um telefone é um dos eventos mais importantes para a geração Z.

De acordo com os adolescentes participantes da pesquisa, os 3 maiores marcos na vida são: graduar na escola, tirar carteira de motorista e ter um telefone.

Atualmente o primeiro telefone é adquirido o quanto antes pelos pré-adolescentes.

  • 13 a 17 anos este momento foi por volta dos 12 anos de idade;
  • 18 a 24 anos foi com 16 anos;
  • 25 a 34 anos foi com 20 anos de idade.

Os dispositivos mais utilizados pelos adolescentes são o smartphones (78%), notebook (69%), televisão (68%) e videogames (62%).

Geração Z e tecnologia

Retirado do site: Think With Google

Comparando estes dispositivos com as gerações, apesar dos smartphones serem os mais utilizados pelos adolescentes, a maioria dos consumidores dos aparelhos são os participantes de 18 a 34 anos.

Este fato pode ser explicado pela maior independência financeira dos adultos, que permite comprar seu próprio aparelho celular e a utilização do mesmo como ferramenta de trabalho.

Na pesquisa, a televisão é mais utilizada pelos participantes de 25 a 34 anos e os videogames são mais utilizados pelos adolescentes.

Atualmente a maioria dos videogames, como o Xbox e o PlayStation possuem acesso à internet e a muitos outros aplicativos online como a Netflix.

Geração Z

Retirado do site: Think With Google

Os telefones conectam e entretêm os adolescentes de hoje

Os adolescentes passam mais de 3 horas do dia assistindo a vídeos no telefone do que fazendo qualquer outra atividade, de acordo com 72% dos jovens.

As outras ações no smartphone que os jovens passam mais de 3 horas do dia são mandar mensagem (52%), fazer social networking (51%) e jogar jogos (42%).

Apesar dos inúmeros benefícios e da praticidade de aproximação de pessoas, a internet também afasta de momentos do convívio social.

De acordo com a pesquisa, os jovens preferem conversar com as pessoas por mensagem (38%) do que pessoalmente (15%).

Os dados comprovaram que as mensagens de texto são 2,5 vezes mais escolhidas como preferidas em conectar com pessoas do que pessoalmente.

Por volta de 3 em cada 10 jovens dizem que trocam mensagem de texto com que estão fisicamente perto.

Uma outra questão é que para mais da metade dos jovens de 13 a 17 anos de idade (53%), o número de followers e subscribers é tão importante a ponto de representar o número de pessoas do seu convívio social. Já para as pessoas de 18 a 34 anos, este valor é menor e varia entre 41% e 42%.

Geração Z followers e subscribers

Retirado do site: Think With Google

Jovens da geração Z são os primeiros compradores em mobile

Atualmente, são os jovens que ditam as tendências dos e-commerces e eles são um bom grupo do mercado para ser explorado.

Porém, para explorar e lucrar com este público é necessário conhecê-lo e entender seu comportamento nos e-commerces.

De acordo com pesquisa da Mobile Marketing Association, cerca de 38% dos adolescentes brasileiros preferem acessar a internet em um dispositivo móvel. Já os adultos com idade entre 25 e 34 anos somente 21% têm esta preferência.

O jovem consumidor é crítico e valoriza muito sua experiência em um site com um design agradável e responsivo. Por isso é necessário adaptar o seu site a estas mudanças que fazem a diferença.

Segundo a pesquisa do Think With Google, 2 em cada 3 adolescentes já estão fazendo compras online.

Em relação às pessoas de 25 a 34 anos, se compararmos as preferências entre compras online e compras em loja física, veremos que os números são bem próximos, 89% e 96% respectivamente.

Razões da geração Z para fazer compras online

53% dos jovens de 13 a 17 anos procuram os preços e variedades online antes de fazer suas compras.

Video games, livros e vestuário são os produtos mais comuns comprados online pelos adolescentes.

Geração Z ecommerce

Retirado do site: Think With Google

As 4 maiores razões para a compra online dos adolescentes participantes da pesquisa foram:

  • É mais conveniente (61%);
  • Melhores promoções online (49%);
  • Permite ver várias marcas sem precisar sair de casa (48%);
  • É mais rápido que ir em lojas físicas (41%).

Outro dado interessante na pesquisa é que 64% dos jovens afirmaram que as imagens que eles veem online influenciam nos produtos que eles compram.

Já o “cool factor”, expressão que em português significa legal ou descolado, é algo importante para os adolescentes, principalmente pelas opiniões de terceiros serem muito significativas nessa fase da vida.

De acordo com a pesquisa os aspectos que fazem um produto ser “cool” são:

  1. Se os amigos falam sobre o produto;
  2. Se eles veem um anúncio sobre aquele produto;
  3. Se a marca faz algo personalizado para ele.

Eles valorizam muito o “cool”, pois é o que os torna diferentes e reconhecidos. Adolescentes dizem que algo é “cool” se é único, impressionante, interessante ou surpreendente.

Conclusão

Para a sua empresa acompanhar essas mudanças no mercado é necessário mudar e adaptar.

Não adianta fazer o Marketing nas plataformas e redes sociais, se as marcas não fizerem um diferencial para os jovens.

É preciso preocupar com os conteúdos e principalmente com o design dos canais. Fazer um site e customizar suas redes sociais de uma forma agradável, responsiva e com boas apresentações faz toda a diferença.

O mais importante é proporcionar experiências positivas desta geração com a sua marca, e assim, explorar este mercado que pode render um ótimo retorno.

Quer saber mais estatísticas sobre e-commerces? Não deixe de conferir a nossa pesquisa E-commerce Trends 2017 e descubra as tendências deste mercado de acordo com as empresas brasileiras.