Artigos

Como o coronavírus está forçando empresas a se digitalizarem e padronizarem o trabalho remoto

Home office e Coronavírus

O coronavírus já é uma realidade em quase todo o mundo, uma pandemia, e as pessoas estão precisando adaptar sua rotina e mudar alguns padrões de consumo e comportamento para proteger sua saúde e a de terceiros.

Uma das medidas mais comuns nesse período é o aumento da adesão ao home office. A prática que está crescendo em todo o globo agora, é uma medida de segurança para evitar que mais pessoas se tornem hospedeiras da doença. O objetivo é diminuir a quantidade de indivíduos nas ruas e evitar aglomerações.

Afinal, mesmo que, até então, os jovens saudáveis não estejam no grupo de risco, eles podem ser vetores do vírus para grupos de risco, e isso é o que agrava a pandemia. Hoje, a relação entre home office e coronavírus é clara: quanto menos pessoas aglomeradas, menores as chances de aumentar o contágio em mais pessoas.

Faça o download deste post inserindo seu e-mail abaixo

Não se preocupe, não fazemos spam.
Powered by Rock Convert

A relação entre home office e coronavírus

As práticas de home office estão crescendo e isso está sendo uma oportunidade para outras empresas aplicarem a estratégia e avaliar como será o desempenho da equipe. O home office e o coronavírus se relacionam devido às aglomerações: quanto mais colaboradores atuam em home office, menor é a concentração de pessoas dentro de empresas, restaurantes e transporte público.

É preciso, no entanto, lembrar que nem todos os trabalhadores poderão começar a prestar o serviço de forma remota. A relação entre home office e coronavírus é simples, mas ainda existe um grupo de pessoas que precisará pausar suas atividades para entrar em isolamento.

Os profissionais que trabalham como autônomos em áreas que não permitem o trabalho remoto serão os mais prejudicados. Afinal, é preciso estar em atuação para receber o pagamento e, quando a ordem é entrar em quarentena, essas pessoas terão que paralisar suas atividades, suspendendo também seus lucros.

Por isso, pensando nesses profissionais, nas pessoas em grupo de risco e na necessidade de melhorarmos e normalizarmos as rotinas o quanto antes, as ações de prevenção e isolamento são tão necessárias.

Empresas e instituições públicas aderiram ao trabalho remoto

O home office está sendo uma das alternativas mais comuns para reduzir as chances de aglomeração no ambiente de trabalho. Muitas empresas e instituições públicas, que mantêm rotinas que podem ser feitas de forma remota, já abraçaram esse modelo de trabalho.

O grande BNDES, Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social, adotou a medida: colaboradores que chegaram de viagem ficarão reclusos por pelo menos duas semanas. Ao mesmo tempo, os que estiverem saudáveis manterão a rotina de forma remota. Já aqueles que possuem alguns sintomas, como tosse e febre, foram instruídos a buscar ajuda médica antes de retomarem ao trabalho, reduzindo assim, também, as chances de contaminação de outras pessoas.

Como implementar o home office em uma empresa que não tem essa prática

Apesar de o home office estar crescendo como tendência em todo o mundo, a situação atual exige que empresas que ainda não haviam considerado essa possibilidade se adaptem para auxiliar os colaboradores no isolamento preventivo ao coronavírus.

Pensando nisso, é importante entender quais aspectos são fundamentais para que os negócios continuem caminhando da melhor forma possível, sem prejudicar os resultados, as rotinas da empresa e, o mais importante, a saúde dos colaboradores e de todos à sua volta.

Deixe a equipe consciente

O primeiro passo para implementar o home office em uma empresa que não tem essa prática é conscientizar os consumidores e alinhar todas as expectativas com esses profissionais.

É fundamental que as pessoas saibam que, mesmo com o trabalho em casa, tarefas e prazos precisam ser cumpridos. Além disso, é interessante que todos estejam cientes da necessidade de se protegerem para ajudar a prevenir a doença e reduzir os índices de propagação do vírus.

Por isso, a empresa precisa fazer uma comunicação que vai além do simples trabalho em casa: explicar quais são os passos mais importantes e possíveis cuidados que precisam ser mantidos para que todo o objetivo do isolamento seja cumprido — diminuir a incidência e manter os cidadãos seguros.

Mantenha ferramentas de comunicação entre os colaboradores e gestores

Um dos grandes benefícios do trabalho presencial é permitir uma comunicação muito mais rápida e eficiente entre colaboradores e entre gestores. Para que o home office tenha um impacto menor nessa vantagem, a sugestão é fazer uso de ferramentas de comunicação.

O Slack se tornou uma alternativa muito comum entre as mais diversas empresas, pois, além de ser uma plataforma muito intuitiva, apresenta alternativas diferentes para os usuários: é possível manter conversas privadas ou criar grupos de acordo com a necessidade e as demandas.

Em algumas empresas, os gestores optam por criar grupos de acordo com as equipes e áreas de atuação. Em outras, os gestores sugerem a criação de grupos por cliente, por exemplo, permitindo uma comunicação muito mais centralizada e eficiente entre todos os envolvidos.

Defina métricas para acompanhar semanalmente

Uma das formas de manter a tranquilidade de donos, coordenadores e gestores das empresas com o home office é definir quais serão as métricas avaliadas durante o período para mensurar a eficiência da equipe mesmo em contextos como esse.

Avalie quais serão os parâmetros utilizados para garantir que sua equipe esteja trabalhando, atendendo dentro do esperado e crie rotinas para acompanhar essa performance.

Duas sugestões de detalhes a serem acompanhados são:

  • tarefas entregues x tarefas previstas para a semana;
  • horas gastas em cada cliente.

Utilize plataformas de controle de pautas

Existem plataformas que permitem que os colaboradores organizem suas pautas e mensurem quanto tempo está sendo gasto para desenvolver cada uma de suas tarefas.

Um exemplo é a iClips, uma ferramenta em que os gestores conseguem acompanhar quais pautas estão sendo feitas, mensurar os resultados de cada um desses esforços e conseguir identificar quantas horas estão sendo gastas por cada pessoa, em cada uma de suas obrigações diárias.

É necessário utilizar esse tipo de reforço para que os gestores tenham uma visão muito mais clara do que está sendo feito e dos possíveis gargalos para a equipe que está trabalhando de forma remota.

Alguns negócios também optam por utilizar o Trello. Essa ferramenta funciona como um kanban e permite visualizar de forma dinâmica as pautas em aberto, as que estão sendo executadas e o progresso de cada uma delas. É fundamental avaliar quais são as possíveis alternativas de acordo com as demandas e necessidades da empresa e, a partir daí, fazer uma escolha mais interessante para o negócio.

Para desanuviar questões de como implementar o home office, vale a pena estudar documentos que são focados nesse momento de crise. A Rock Content desenvolveu um guia creative commons com esse foco, para ajudar as empresas que não sabem muito bem por onde começar com o trabalho remoto.

Algo que não pode ser perdido de vista é o reconhecimento de que pode haver uma queda na produtividade. Isso é normal, principalmente considerando o momento sensível que vivemos, e nenhum líder deve se espantar. O ponto principal é procurar entender as dificuldades dos liderados para então agir sobre elas.

O home office e coronavírus vieram para colocar em xeque uma pauta que já está correndo há muito tempo: como adaptar as empresas para os novos padrões de trabalho, fora dos escritórios e com muito mais liberdade, flexibilidade e responsabilidade para os colaboradores.

O artigo Líderes que não sabem lidar com trabalho remoto precisam rever suas habilidades de gestão fala muito sobre esse tema e é uma leitura complementar para adequar a rotina das empresas às necessidades do home office.

Mantenha-se atualizado sobre a pandemia e aprenda a evitar o contágio:

BBC
The New York Times
Agência Nacional de Saúde Suplementar
Ministério da Saúde

Publicações relacionadas
Artigos

Os primeiros passos em machine learning

Artigos

Dia dos Pais dá retorno para empresas

Artigos

Tique-taque, e mais um problema de dados aparece

Artigos

O que faz os Citizen Data Scientists