Artigos

Inovação aberta é uma maneira de aproximar startups das grandes empresas

Inovação aberta permite grandes empresas a terem ideias transformadoras

A busca por novos conhecimentos e a constante inovação que é exigida no mercado requer muito de todos os envolvidos no processo, sejam eles proprietários, colaboradores ou mesmo empresas.

Por isso, é preciso desenvolver métodos de trabalho que aproximem a realidade de diferentes mundos e estimulem o processo de criação, desenvolvimento e aprimoramento de soluções no mercado. É isso o que as empresas que optam por trabalhar com a inovação aberta procuram fazer.

O termo inovação aberta foi criado por Henry Chesbrough em seu livro “Inovação Aberta: Como criar e lucrar com a tecnologia”. Chesbrough propôs um novo modo de acelerar o processo criativo dentro das empresas.

Para isso, o desenvolvimento não é feito mais apenas pelo pessoal interno. Podem ser dados incentivos para que colaboradores externos criem soluções, trazendo para mais perto o conhecimento e estimulando a criação de novas ideias.

Processos de inovação aberta

Os processos de inovação andam de mãos dadas com a transformação digital, em que é feito uso de ferramentas tecnológicas para melhorar os processos e garantir resultados melhores dentro das empresas. 

Esse processo como um todo traz benefícios como:

  • inovação acelerada: o trabalho é dividido e feito com mais agilidade;
  • eficiência maior nos projetos de inovação: novas tecnologias, ideias e parceiros fazem com que novas soluções sejam adotadas dentro da empresa;
  • estímulo à inovação em grandes empresas: isso acontece por causa das parcerias feitas com startups inovadoras, dando uma guinada no processo de inovação de grandes empresas;
  • melhorias nos produtos que já estão no mercado: muitos produtos vendidos podem ter um versão melhor, para isso, no entanto, é preciso apenas que uma equipe gere novas ideias e soluções.

Inovação aberta em empresas de mente fechada

Empresas que estão buscando o processo de inovação aberta talvez tenham de passar por mudanças de mindset. Alguns lugares estão acostumados a trabalhar com processos em que um grupo fechado de pessoas buscam soluções e inovações para a empresa. 

Trabalhar desse modo pode até parecer dar bons resultados, mas a verdade é que esse método tende a atrasar o processo de inovação e a aumentar os custos que a empresa tem.

Por isso, é preciso abrir a mente e entender que podem ser usados mais de um grupo de pessoas competentes para desenvolver ou aprimorar os produtos e serviços prestados por uma empresa.

Estes são os benefícios para o negócio:

  • integração dos recursos externos e internos;
  • o processo como um todo se tornará mais ágil;
  • o custo pelo desenvolvimento ou aprimoramento de um produto da empresa será reduzido.

A inovação aberta em novos negócios com crescimento acelerado

A inovação aberta é um método de trabalho que gera resultados significativos tanto para quem já está estabelecido há algum tempo no mercado como para novos negócios.

Por isso, podem ser montados programas de aceleração ao crescimento que unam startups às grandes empresas. Assim, um negócio já estabelecido encontra novas soluções e uma startup tem acesso a recursos que não teria de outro modo.

Como buscar parcerias

Firmar as boas parcerias exige que sejam que as empresas parceiras tenham os mesmos objetivos estratégicos e a atuação delas no mercado sejam complementares.

Objetivos estratégicos das empresas envolvidas

É o que ditará direção sobre até que ponto a parceria estabelecida levará ambas as empresas. Os objetivos dos envolvidos no processo de inovação aberta é o que servirá de direção para as equipes de desenvolvimento.

Esses objetivos também auxiliam as empresas enxergarem os resultados que estão conseguindo com a parceria e, ainda, permitem identificar pontos de melhorias.

Ser complementares na ampla atuação dos negócios

Quem precisa de um negócio exatamente igual ao seu para conseguir crescer no mercado? Ninguém, afinal, o que um sabe fazer o outro também sabe.

Por isso, é preciso buscar parcerias em empresas que tenham o mesmo o público e tenham soluções diferentes da sua. Desse modo, um serviço será complementar ao outro e ajudará ambos os negócios a ganharem mais destaque no mercado.

Empresas que já trabalham com inovação aberta

Em 2017, um mapeamento feito pelo DCI mostrou que só no Brasil já existiam 87 empresas trabalhando com a inovação aberta. Esse número é muito maior espalhado pelo mundo todo.

Abaixo estão algumas empresas que conseguiram alavancar bons resultados com esse método.

Lego

Lego é uma empresa fundada na década de 30 que se popularizou no mercado de brinquedos. Contudo, chegou em um patamar em que o seu crescimento era de apenas 1% ao ano. Foi aí que perceberam que inovação aberta poderia ser a chave para dar nova vida ao negócio. Por isso, chamaram clientes para participarem do processo de criação de produtos desenvolvidos pela marca.

Para isso, criaram uma plataforma na qual os consumidores podiam sugerir ideias de produtos que gostariam de ver a Lego produzindo. A regra para que o potencial de comercialização da ideia fosse analisado era que houvesse 10 mil apoiadores da inovação sugerida. 

O incentivo para o envio de novas ideias é o pagamento de 1% dos royalties em caso de comercialização e distribuição do produto sugerido. A partir disso, um dos usuários criou um projeto de casa na árvore. A ideia foi tão bem aceita que essa criação já está disponível na loja oficial da Lego.

Alguns projetos que estão em análise são: foguetes de SpaceX e uma réplica do Museu Nacional que foi atingido por um incêndio em 2018.

Itaú

O Itaú, junto da Redpoint Eventures, desenvolveram um projeto para fomentar a cultura de inovação e facilitar o empreendedorismo em São Paulo.

Para isso criaram o Cubo Itaú, que é um ecossistema de inovação (um dos maiores no hemisfério sul). O local, com 13 andares, abriga mais de 100 startups. Algumas delas são: iFood, 99, Nubank e Olx.

Nessa iniciativa, o prédio também oferece espaços para eventos, dá acesso a benefícios para as startups, oferece contato com outras empresas e proporciona muito networking.

Porto Seguro

A Porto Seguro lançou em 2015 a Oxigênio, uma aceleradora de startups. O foco dessa aceleração são empresas que:

  • atuam no mercado de seguros;
  • oferecem serviços automotivos;
  • fornecem soluções financeiras;
  • focam em proteção e segurança;
  • fazem consórcios.

A Oxigênio pode investir até 600 mil reais em startups promissoras, isso sem comprar participação nenhuma na empresa. Em resultado, a Porto Seguro investiu aproximadamente 10 milhões até 2018. Isso proporcionou a aceleração de 29 novos negócios.

Além do dinheiro, as startups têm acesso:

  • à mentoria;
  • espaço para fazer o trabalho;
  • descontos nas ferramentas necessárias;
  • consultorias;
  • networking.

Microsoft

A Microsoft conta com os melhores profissionais do mundo em diversas áreas e reconhece que é preciso utilizar a Inovação Aberta para acelerar o crescimento e gerar novidades no mercado.

Um exemplo disso é o programa AI for Good Idea Challenge (Inteligência Artificial para o desafio da boa ideia, em tradução livre). Nele, as pessoas são convidadas a usar a inteligência artificial para construir um mundo melhor, com mais acessibilidade e sustentabilidade.

Foram chamados estudantes, programadores e cientistas de dados a usar Inteligência Artificial para construir um mundo mais acessível e sustentável. O vencedor do desafio do ano 2019 foi Bohdan Petryshak, que, junto de uma equipe de estudantes, desenvolveu um aplicativo chamado CardioVision.

Esse app auxilia os médicos a classificar os exames e detectar problemas nas artérias coronárias 3 vezes mais rápido. Assim, atuam na prevenção do ataque cardíaco dos pacientes.

Apple

Quando comparada a outras empresas de tecnologia, a Apple sempre foi mais restrita com o que os usuários podiam fazer. Assim, os aplicativos eram de difícil acesso se comparados aos celulares Android.

Em 2008, no entanto, a Apple entendeu que precisava participar de um processo de inovação aberta para continuar a alavancar as suas vendas. Por isso, passou a permitir que aplicativos para o iOS (sistema operacional dos celulares) fossem criados e distribuídos para outros usuários da marca pela Apple Store.

Isso desenvolveu um senso de colaboração e comunidade com os usuários e tornou os seus produtos ainda mais atrativos no mercado. Para fins de curiosidade, em 2008, a Apple Store tinha apenas 800 aplicativos. Já em 2010, esse número foi para 300.000 e, em 2017, atingiu a marca de 2.200.000.

Oi

Oito, um espaço de inovação de desenvolvimento de startups foi o jeito que a Oi encontrou para entrar no mundo da inovação aberta. O local também tem uma parceria com a Nokia para oferecer o IoT Lab, um laboratório com o objetivo de apoiar projetos que estão envolvidos com a Internet das Coisas.

Além disso, a empresa fornece para as startups:

  • possibilidades de investimento;
  • espaço para trabalho;
  • mentorias.

Essas empresas são prova de que a Inovação Aberta é a chave para desenvolver novos produtos, aprimorar os serviços já oferecidos e alavancar as vendas, tanto de empresas menores quanto nas que ainda estão se estabelecendo no mercado.

Algumas companhias pensam que inovar não é algo essencial para a própria organização, muito porque a equipe é enxuta. Para acabar com esse mito, descubra agora qual é o tamanho ideal de uma equipe para a inovação.

Publicações relacionadas
Artigos

Transformação digital precisa ser entendida como evolução digital pelas empresas

Artigos

Grandes empresas conseguem manter um atendimento pessoal com a ajuda da tecnologia

Artigos

Depois da Lista do Não me Perturbe, como as empresas de telefonia podem chegar aos consumidores sem incomodá-los

Artigos

Experiência Criativa é a evolução de Customer Experience