ACOMPANHE AS PRINCIPAIS TENDÊNCIAS E NOVIDADES DO MERCADO NO BLOG INTELIGÊNCIA

inteligência artificial

O que devemos esperar da Inteligência Artificial nos próximos anos?

Recentemente, o Facebook lançou uma inteligência artificial que foi criada pela Fair (Facebook AI Research) para simular situações de negociação. Porém, ela foi desativada, pois desenvolveu uma linguagem própria para se comunicar.

No entanto, essa não foi a primeira vez que um sistema de inteligência artificial criou uma linguagem nova. No fim de 2016, um sistema de tradução do Google criou uma linguagem que permitia a tradução entre idiomas que ele não havia aprendido.

Além disso, ainda no ano passado, não demorou menos de 24 horas para a Microsoft  interromper um Bot criado no twitter, pois o robô começou repetir os comentários racistas e misóginos dos usuários.

Apesar de algumas experiências como essas terem dado errado, a inteligência artificial de interface conversacional (AI) está transformando a forma como interagimos com a tecnologia.

Tudo começou com a Siri em 2011 e evoluiu ao longo dos últimos anos — primeiro em sistemas operacionais de smartphones e agora disponível em uma variedade de formatos diferentes. Desde então, os assistentes digitais ou virtuais tornaram-se um elemento mais presente na experiência do usuário.

Esses assistentes são agentes ou aplicativos que permitem que os usuários façam perguntas ou deem instruções utilizando o comando de voz. Isso revoluciona o Marketing Digital.

À medida que nos habituamos com os assistentes virtuais fazendo mais coisas para nós e facilitando ações em diferentes locais do nosso dia a dia, nos perguntamos: o que devemos esperar dessa tecnologia?

Vamos apresentar 3 assistentes virtuais que vão te mostrar como o futuro da Inteligência Artificial está mais próximo do que imaginamos.

O Google Assistant

Um assistente virtual pode existir em muitas formas diferentes, seja no seu smartphone, no seu desktop ou em um alto-falante conectado.

O Google Assistant, é um ótimo exemplo disso, ele conta com o Google Pixel, Google Allo e Google Home, cada um em um dispositivo diferente.

"Estávamos procurando uma maneira natural para as pessoas interagirem com a tecnologia, assim surgiu esta interface conversacional. A conversa é a interface mais natural que você possa pensar e é algo que todos sabemos como fazer de forma muito voluntária, (...) orquestramos todas essas coisas juntas de uma maneira que funciona para você" — Gummi Hafsteinsson, diretor de gerenciamento de produtos do Google Assistant.

O Google está construindo inteligência em todos os seus produtos e, com o Assistente do Google, a empresa está tentando manter a user experience (ou experiência do usuário) simples ao mesmo tempo em que apresenta conjuntos de dados cada vez mais complexos, integrações e lógica automatizada.

 Cortana da Microsoft

 

A maior utilidade de um assistente virtual é ter acesso a ele onde quer que você esteja, além de receber informações personalizadas muitas vezes antes mesmo de saber que você necessita delas.

No caso de Cortana, a Microsoft desenvolveu assistentes pessoais que aprendem sobre o usuário.

"Quando fomos ao desenvolvimento da Cortana, que começou no Windows Phone antes de trazê-lo para o Windows 10, os criadores realmente exploraram os assistentes. Eles fizeram todas essas entrevistas com assistentes pessoais para saber o que eles fazem. Esse foi o ponto de partida para criar um verdadeiro assistente digital em vez de apenas uma interface de voz. Todos os assistentes pessoais mantêm o que sabem sobre alguém para que possam ajudá-lo melhor. Então, uma das coisas que queríamos fazer era realmente personalizar a experiência para as pessoas. A assistência que você receberia da Cortana seria única para você e permitiria acompanhar proativamente aquilo que você considera importante." — Laura Jones, gerente sênior de marketing da Cortana

 

A Microsoft tem raízes mais profundas em software e produtividade de negócios. A Cortana está habilitada em uma série de aplicativos e serviços da empresa desde o Microsoft Power BI até o Skype for Business — para fornecer respostas contextuais imediatas às consultas sem deixar o aplicativo que você está utilizando no momento.

A maneira mais simples que a Cortana faz isso é por meio de lembretes. O agendamento, os lembretes e as listas são funcionalidades top of mind para os assistentes virtuais.

A Microsoft também está trabalhando com o Wunderlist (em breve para Microsoft To-Do ) para integrar a Cortana e sincronizar listas entre dispositivos.

Tudo isso faz parte de uma estratégia mais proativa, usando dados contextuais e lembretes baseados em localização para ajudar os usuários a gerenciar seus emails, agendamentos e compromissos do dia a dia.

A Cortana já está totalmente integrada no navegador Microsoft Edge (você pode clicar com o botão direito do mouse em qualquer palavra destacada no Edge para pedir a Cortana) e permite, ainda, procurar documentos ou pessoas em aplicativos como o OneDrive for Business e o SharePoint.

Alexa da Amazon

Quanto mais tarefas você ensinar e programar um AI para executar, mais ele poderá fazer.

A este respeito, os assistentes virtuais têm algo em comum com o processo de aprendizagem profunda, pelo qual os algoritmos de machine learning (ML) e as redes neurais são treinadas em conjuntos de dados.

O treinamento de assistentes virtuais para executar tarefas empresariais específicas é mais fácil. Tudo o que você precisa fazer é abrir o ecossistema para desenvolvimento de habilidades.

A Amazon é referência nesse quesito. O Alexa Skills Kit está disponível desde 2015 e permite que empresas e desenvolvedores apliquem a Alexa em qualquer ambiente ou processo comercial que desejem. Como resultado, já existe uma ampla seleção de habilidades de negócios disponíveis que as empresas podem simplesmente habilitar e começar a usar  e esse ecossistema está crescendo.

"Nós vimos pessoas usando as habilidades do Alexa para automatizar salas de conferência e vimos pessoas conectando seus emails e calendários. As empresas estão redefinindo o propósito do Alexa para muitos cenários empresariais.", disse David Limp, vice-presidente sênior de dispositivos da Amazon, que supervisiona o desenvolvimento do Alexa em todos os dispositivos da Amazon.

 O Google e a Microsoft lançaram as ações no Google e Cortana Skills, porém a Amazon segue na liderança.

 

Esses kits de ferramentas permitem que você crie habilidades específicas, mas também estão evoluindo para incorporar processamento de linguagem natural (PNL) e recursos como sugestões proativas para recomendar uma habilidade aos usuários no contexto certo.

Chatbot versus Assistentes virtuais

É importante distinguir um assistente virtual de um chatbot.

Os chatbots fornecem um tipo de experiência muito semelhante: uma interface conversacional na qual um usuário interage com um assistente virtual. Mas seu escopo é mais estreito do que os assistentes virtuais, que são mais onipresentes, disponíveis em experiências digitais e mais versáteis no uso.

Porém, os chatbots estão começando a ficar muito mais inteligentes, mas para as empresas, sua principal função é de um agente virtual para um aplicativo, marca ou serviço específico.

Os chatbots ajudam os clientes a fazerem coisas mais simples como reservar viagens, comprar e concluir transações de e-commerce ou obter informações de suporte ao cliente através de uma interface de conversação.

A principal diferença é: um chatbot é um agente virtual configurado para fazer uma tarefa dentro de um aplicativo e o assistente virtual é sistema em que a inteligência artificial está mais presente e livre em um sistema operacional.

Conclusão

As diferenças entre Alexa, Siri, Cortana e Google Assistent não são extremas. Porém, esses AIs lançaram uma nova formulação de padrões de interface de programação de aplicativos e isso abre a visão da sociedade sobre o nosso futuro.

É preciso melhorar o processamento e o entendimento conversacional antes de vermos os assistentes virtuais se tornarem não apenas amplamente adotados pelos consumidores, mas verdadeiramente enraizados nas operações comerciais diárias.

Mais importante do que olhar para os números, é saber que a presença e a convivência com os assistentes virtuais mudarão gradualmente nosso comportamento.

Quer saber mais sobre a transformação digital e a inteligência artificial? Confira as principais tendências futuras para o marketing empresarial.