Artigos

Nostalgia é tendência de mercado, não só um sentimento

Nostalgia como tendência de mercado

Ao menos uma vez, todos já nos sentimos um pouco atordoados com a quantidade de informações e opções à nossa volta. Essa sensação às vezes faz com que no momento de escolhermos algo, demos preferência ao que já conhecemos e nos toca profundamente. A nostalgia fez seu papel.

Uma pesquisa desenvolvida pelo Spotify descobriu que 70% das pessoas confirmam que se lembrarão de marcas que estiveram presentes em momentos especiais de sua vida. Mais do que um sentimento individual, a nostalgia se firma como uma tendência de mercado.

Faça o download deste post inserindo seu e-mail abaixo

Não se preocupe, não fazemos spam.
Powered by Rock Convert

Saudades de um tempo mais simples

O modo como o mundo se desenha, com uma quantidade gigantesca de informação, pode despertar a vontade de voltar ao tempo em que nossos e-mails não lotavam de um dia para o outro. Dessa forma, se reconectar com aquelas marcas que já trouxeram boas sensações soa como um caminho seguro.

As pessoas que nasceram em 1999 estão com 20 anos em 2019 e elas fizeram parte de um mundo com muitas mesclas entre o analógico e o digital. Esses e muitos outros consumidores ainda possuem uma relação afetiva com a época em que a Era da Informação não se fazia tão onipresente na vida cotidiana.

Sentimentos são poderosos e a nostalgia desperta vários

A ciência da emoção é extremamente poderosa para ações de marketing. Segundo um artigo desenvolvido pela Buffer, a felicidade nos faz ter vontade de compartilhar e a tristeza acaba por nos conectar e gerar empatia.

A nostalgia, aquela que não é melancólica e paralisadora, é carregada de uma gama de sentimentos. Essa complexidade, quando ativada por coisas que amamos, nos leva para lugares confortáveis e faz com que nos sintamos bem neles.

A confiança faz diferença

Em uma pesquisa de 2018 da PwC, a empresa de consultoria pontuou o papel das mídias sociais no processo de confiança dos consumidores com as marcas. Entretanto, ela também destacou que os clientes confiam muito em outros indivíduos.

É mais fácil se sentir confortável ao escolher algo que alguém de confiança te garante a qualidade. O marketing boca a boca sempre tem sua força.

A nostalgia atua de forma um pouco parecida, já que ela faz com que o consumidor se volte para marcas com que ele tem mais familiaridade. Em um mundo de incertezas, ela é um fator que pode estar colada tanto à qualidade de um serviço ou produto, quanto de uma memória afetiva.

“Quando você consegue se reconectar com o passado de alguém, com os dias da sua formação, você tem uma força poderosa que acelera quase qualquer coisa como um catalisador.” – Jeremy Gutsche, CEO do Trend Hunter

Como sua marca pode trabalhar com a nostalgia

Ainda que compreendamos o sentimento, em um primeiro momento pode ser complicado pensar em uma maneira de colocá-lo em prática nas suas estratégias. Há três pontos principais que cercam a nostalgia e te ajudam a lidar pragmaticamente com essa sensação.

Tradição

Ainda que criemos algo de novo, sempre partimos de um lugar, isso nunca vem do zero. Esse papel da tradição, que nos ajuda a avançar, também nos auxilia a retornar a um ponto em que já estivemos e trabalhar novamente em cima dele.

Se sua marca tem história, fortaleça esse aspecto. Fazer com que o público se lembre que você exerce um papel no mundo há muito tempo é uma ponte para se conectar com todos aqueles que já se relacionaram contigo alguma vez.

Reconhecimento

A nostalgia só acontece quando reconhecemos a importância de algo em nosso passado. Se não conseguimos nos lembrar da forma com que nos sentimos quando interagimos com algo, dificilmente teremos uma conexão emotiva com aquilo.

Dessa forma, relembre da ligação que seu público teve com você. Busque momentos importantes em sua trajetória para que a confiança que aconteceu no passado seja recobrada e, assim, fortalecida no presente.

Pertencimento

Se sua marca não está no mercado há muitos anos, isso não significa que a nostalgia é uma tendência inútil para suas estratégias. Ainda que seu branding esteja em processo inicial de construção, lembre-se que sempre é possível se humanizar.

Os indivíduos que constroem sua marca hoje têm uma história pessoal que permite uma conexão emocional. Por exemplo, relembrar que eles também sentem saudades de um walkman, porque fizeram parte dessa época, é um ótimo canal para explorar a nostalgia.

Procure pontos humanos e sociais de pertencimento com o público para que a aproximação dele com sua marca cresça. É neste momento que você demonstra que tem referências em comum com o consumidor.

Marcas que já trabalham com nostalgia

A nostalgia como tendência de mercado ganha cada vez mais força e algumas companhias já entenderam que essa estratégia é um bom caminho para gerar lucro.

O retorno da Fila

De acordo com uma reportagem da CNBC, a Fila, marca de acessórios esportivos, aumentou suas vendas em 205% entre 2016 e 2018. Isso significa um ganho de mais de 1,6 bilhões de dólares.

Mais do que apenas trazer de volta sua identidade, a Fila aproveitou a nostalgia dos compradores para conjugar o passado com o presente. A atualização de sua marca, feita com respeito e admiração por algo que o público já amava, aumentou sua participação no mercado.

A seu favor, a Fila também teve a tendência do streetwear, que leva para outros ambientes um estilo mais urbano de se vestir.

Relançamento de clássicos da Nintendo

Os consoles NES e SNES, da Nintendo, fizeram parte do crescimento de muitas pessoas. Com o amor por esses clássicos ainda vivo, a empresa decidiu relançar os aparelhos. Os números de vendas dos dois somados ultrapassaram 10 milhões de unidades.

Com algumas comodidades que não existiam nas versões originais, como voltar em um ponto do jogo para refazer certa parte de alguma fase, a empresa não pretende continuar a produção dessas edições especiais.

Os relançamentos foram uma porta de entrada para chamar atenção para o poder do Switch Online, serviço que comporta jogos clássicos dos consoles da empresa.

Remakes da Disney fazem bilhões

Com os remakes de Cinderela, A Bela e a Fera, Dumbo e Aladdin, a Disney conseguiu angariar mais de 3 bilhões de dólares no mundo inteiro. Quando um dos maiores estúdios do mundo investe tanto em nostalgia, fica claro que a tendência tem muita força e fôlego para continuar.

Nesse caso, isso funciona principalmente porque a empresa sabe da importância que tem na vida de milhares de pessoas e que esses indivíduos possuem uma relação muito intensa com essas histórias. Entretanto, sua marca não precisa ter a escala da Disney para utilizar o mesmo princípio. Aquilo que deve ser explorado é o que fez com que os outros quisessem se conectar com você em primeiro lugar.

Devido ao fato de conectar com o que muitos consideram de mais precioso em sua história, o passado, a nostalgia é um poderoso caminho para desenvolver estratégias humanas que aproximem sua marca ao público. É também uma ótima oportunidade de mostrar que você compreende a vida de quem se envolve com seu negócio.

Gostou de entender mais dessa tendência? Aproveite para conferir o panorama do Marketing de Conteúdo nacional na nossa pesquisa Content Trends 2019.

Publicações relacionadas
Artigos

Grandes empresas conseguem manter um atendimento pessoal com a ajuda da tecnologia

Artigos

Depois da Lista do Não me Perturbe, como as empresas de telefonia podem chegar aos consumidores sem incomodá-los

Artigos

Experiência Criativa é a evolução de Customer Experience

Artigos

Para implementar o marketing ágil é essencial ter uma cultura baseada em dados