ACOMPANHE AS PRINCIPAIS TENDÊNCIAS E NOVIDADES DO MERCADO NO BLOG INTELIGÊNCIA

Pesquisas de marketing

Pesquisa de Marketing: o que é e por que fazer a sua?

Big Data e pesquisa de marketing: o assunto do momento.

Especialmente para profissionais de Marketing, essa pauta parece incansável: tem sempre um novo artigo explicando porque você deve analisar os dados gerados por suas ações, como acompanhar os principais dados, como escolher as melhores fontes, como analisar cada nova informação… a lista parece interminável.

Porém, por outro lado, muitas empresas acabam focando na utilização dos dados gerados por suas ferramentas, redes sociais, analytics e afins, e se esquecem de uma mina de ouro pouco explorada: a formação dos seus próprios dados.

Além de gerar valor para a sua persona, por meio de informações “exclusivas” e análises específicas para sua realidade e da sua audiência, é possível obter diversos insights para melhorar os seus processos, sua entrega e sua relação com o seu público.

Uma das formas mais fáceis de construir essa base de dados é por meio de pesquisas de marketing! Elas são práticas, funcionais e podem gerar como resultado diversos conteúdos relevantes.

Por isso criamos esse material: queremos ajudar você a entender como sua empresa pode melhorar a geração e administração de informações com pesquisas, obtendo diversas oportunidades!

Os benefícios de uma pesquisa para empresas e clientes

Exatamente: os benefícios não são apenas para o seu negócio.

O primeiro ponto a se saber é que a sua empresa terá grandes oportunidades a partir da criação de uma pesquisa de marketing, por diferentes motivos.

Em primeiro lugar, é claro, pela própria geração de dados relevantes a respeito da sua área de atuação e por ser uma oportunidade de entender melhor a sua audiência.

Mas, além disso, existem diversos outros benefícios que podem ser obtidos por meio da criação de uma pesquisa.

Geração de valor para sua audiência

Que informação e conhecimento geram valor, você já sabe.

Especialmente se a sua empresa possui uma estratégia de conteúdo consolidada, você já deve ter percebido o quanto isso aumenta a confiança dos consumidores na sua empresa.

Porém, as pesquisas possuem um papel especial nesse quesito, porque as pessoas tendem a confiar mais em dados do que em informações puramente educativas, o que aumenta — e muito — a construção de valor por parte da sua audiência.

Isso é importante porque torna o seu negócio mais confiável, aumentando a percepção de credibilidade por parte dos potenciais consumidores com a sua marca.

Construção de autoridade em seu mercado

Se tornar uma referência é um desejo de todas as empresas, independentemente do setor ou do porte.

Para isso, além de um bom produto, é preciso ter diferenciais claros e que façam sentido para o seu público, como gerar valor, ter uma cultura forte, educar o mercado etc.

E as pesquisas também te ajudarão não apenas a criar um diferencial, mas vários (como todos os citados anteriormente).

É que, a partir delas, as pessoas entendem que a sua empresa se importa com informações de qualidade e que “sabe o que está fazendo”, o que aumenta a confiança não só na sua marca, mas no que você entrega.

Além disso, os dados e estatísticas gerados na sua pesquisa passam a ser citados por outras empresas e veículos de comunicação, referenciando a sua própria empresa ou a pesquisa.

Assim você se destaca dos concorrentes e se torna uma referência para as pessoas em sua área de atuação.

Captura de informações valiosas para sua empresa

Mesmo que você desenvolva uma pesquisa que não criará um material ou conteúdo como resultado, ou seja, apenas para coleta de dados de uso interno, você já sairá ganhando.

Claro que nós indicamos que você crie um documento e compartilhe com o público. Afinal, você já teve o trabalho de gerar o questionário, divulgá-lo e analisar os dados.

Porém, se esse não é o seu objetivo, as informações levantadas já ajudarão você e sua equipe a tomarem decisões mais seguras e validadas, diminuindo os riscos para o seu negócio.

Além disso, as pesquisas ajudam as empresas a terem insights e percepções que elas não teriam sem as respostas dadas por seus consumidores, trazendo novas possibilidades e, quem sabe, até uma visão inédita sobre o seu mercado.

Identificação de tendências

Os dados da sua pesquisa, principalmente se bem trabalhados, poderão te ajudar a identificar o “próximo passo” a ser tomado, revelando tendências para que você saia na frente e se destaque.

Isso é muito importante, porque você terá a chance de se preparar e criar planos de ação antes de seus concorrentes, seja especificamente sobre o seu produto ou serviço, ou outras áreas como Marketing e Vendas.

Acesso a informações de qualidade

O seu público também se beneficia por ter acesso a um conteúdo exclusivo e de qualidade, não baseado em achismos, mas em dados consistentes e uma análise crítica sobre eles.

O grande problema da “Era dos Dados” é que muitos deles acabam não gerando nenhuma informação de valor, seja pelo mau uso das informações, seja pela falta de objetivo.

Por isso, se sua equipe montar uma estrutura clara, focada em resultados e que “resolva  um questionamento” do mercado, você estará fornecendo para as pessoas conteúdo de qualidade e que pode realmente ajudá-las de alguma forma.

Geração de Leads

Quem não gosta de leads? Afinal, eles são oportunidades para a sua empresa, que poderão se transformar em clientes antes mesmo do que você imagina.

Por isso, mesmo que tudo dê errado, se você fizer uma boa divulgação poderá aumentar a geração de leads de qualidade do seu negócio, nutrindo o time comercial de oportunidades de contato e de venda!

Análise dos concorrentes

Exatamente! Uma pesquisa de mercado poderá ajudar sua empresa a entender melhor os pontos fortes e fracos dos seus concorrentes, além da opinião e comportamento do público em relação a eles.

Esses dados podem ser usados como uma poderosa arma tanto de reavaliação do seu produto ou serviço, quanto como uma fonte de informação para ações de Marketing estratégicas e fortalecimento da sua imagem!

Apoio ao time de vendas

Assim como as pesquisas ampliam a autoridade da marca, elas também conferem autoridade e embasamento ao argumento do time de vendas.

Imagine que você descubra que empresas que utilizam o seu software economizam 30% mais se comparadas àquelas que não usam? Ou que o ROI do seu produto/serviço é alto?

Um vendedor pode utilizar essas estatísticas para demonstrar que não é só ele que acha o produto bom, mas sim, o mercado.

Isso reforça o argumento de vendas e ajuda na decisão de compra.

Qualquer empresa pode fazer uma pesquisa?

Sim, qualquer empresa pode fazer.

A grande questão por trás de uma boa pesquisa não é o tipo de negócio — B2B ou B2C, produto ou serviço etc. — e sim o objetivo que se tem com a criação de um relatório como esse.

Como já dissemos, não necessariamente esse material precisa se tornar uma oferta para os seus clientes e potenciais clientes. Muitas vezes, fazer uma pesquisa vai ser simplesmente uma forma eficaz de conhecer melhor o seu público ou entender o seu mercado.

Porém, tenha em mente que, se você não sabe o que quer encontrar — a resolução de uma dúvida, de um problema, uma hipótese sobre sua área de atuação —, dificilmente você saberá o que fazer e como utilizar os dados da melhor forma possível.

Entenda também que o número de respondentes é importante. Afinal, você precisa validar a sua base de dados para que ela realmente seja rica o suficiente para te ajudar a tomar decisões ou mesmo gerar valor para o seu público.

Por isso, mesmo que você não tenha uma incrível base de contatos para te fornecer todas essas informações, saiba onde procurar — seja por meio de parcerias na divulgação, ou fazendo com uma empresa especialista em pesquisas.

Erros que você pode comentar ao fazer uma pesquisa

Se uma pesquisa pode ser uma grande jogada do seu negócio, por outro lado ela também pode representar prejuízos, perda de tempo ou mesmo prejudicar a sua imagem.

Tudo isso dependerá exatamente de quais dados você irá gerar e o que você fará com eles.

A seguir, descubra alguns erros comuns na hora de criar pesquisas e relatórios e evite-os a todo custo!

Não ter um objetivo claro

O primeiro grande problema para executar sua pesquisa é não ter definido um objetivo claro para realizá-la.

Esse, assim como qualquer outro conteúdo ou ação da sua equipe, deve partir de um ponto: qual problema ele soluciona?

Ou seja, qual é a dúvida, hipótese ou problema que pode ser resolvido por meio de um conjunto de dados fornecidos pelo seu público?

Não importa se a dúvida é só da sua empresa ou também da sua audiência, desde que você não esteja gerando um relatório “apenas para seguir a tendência” e não para trazer uma solução real.

Não ter uma boa base de contatos

O segundo, que pode representar prejuízos para o seu negócio, será elaborar uma pesquisa sem ter canais de divulgação do seu relatório, que ajudam a obter o maior número de respondentes possível e a validar as respostas obtidas.

Não existe um número ideal de respostas para comprovar que determinada informação é válida, porque isso depende muito dos seus objetivos — como dissemos anteriormente.

Mas afirmar que a sua pesquisa é de caráter nacional e só obter respostas da região sudeste, por exemplo, invalida automaticamente a credibilidade do relatório.

Por isso, além de definir um objetivo, seja realista e entenda exatamente se você terá audiência suficiente para confirmar suas teorias e construir um conteúdo realmente relevante.

No próximo capítulo falaremos mais sobre como fazer uma boa coleta e divulgação do seu questionário.

Não ter um incentivo para aumentar o número de respondentes

Por que, hoje, você pararia para responder a um questionário?

Das duas opções, pelo menos uma:

  1. Ou você tem muito interesse sobre o tema;
  2. Ou você tem algo a ganhar.

Sem um incentivo para os seus respondentes, dificilmente você conseguirá fazer com que um número consistente de pessoas pare e tire minutos do seu dia para preencher um formulário.

Por isso, pense em alguma coisa que a sua audiência gostaria de ganhar e que você pode oferecer: descontos, brindes, prêmios, um período grátis do seu serviço ou qualquer coisa que seja atrativa o suficiente. Mas lembre-se: cuidado para não atrair o público errado, que só quer participar pelos brindes.

Escolha bem a base e o incentivo certo, para atrair as pessoas certas.

Ser tendencioso

O primeiro aspecto é, sem sombra de dúvidas, ser tendencioso na hora de elaborá-la, e existem diversas formas de fazer isso.

Por exemplo: na hora de fazer uma pesquisa sobre a opinião dos seus clientes, você não pode segmentar a sua base apenas em relação àqueles que você sabe que estão satisfeitos.

Ou, se for fazer uma pesquisa sobre o seu mercado, só pesquisar com os seus clientes ou só colocar nas opções de resposta o nome da sua empresa possivelmente fará com que o relatório tenha respostas irreais.

É fundamental entender, com base na sua hipótese e objetivo com a pesquisa, que para que ela seja realmente efetiva, muitas vezes será preciso colocar à prova a percepção do mercado sobre você.

Por isso seja o mais imparcial possível e entenda que, quanto mais reais forem os resultados, melhor será a sua base de dados, especialmente para sua tomada de decisões.

Mentir sobre informações

Esse é, possivelmente, um dos piores erros que você pode cometer ao construir um relatório como esse: mentir sobre as informações obtidas.

“Ah, mas ninguém vai ficar sabendo”.

Antes de tudo, isso é antiético. Mas, ainda assim, caso alguém descubra que você está manipulando dados, toda a sua credibilidade irá por água abaixo em instantes, inclusive sobre sua estratégia de Marketing, outros conteúdos, produtos e até mesmo como profissional.

Por isso, leve tão a sério a elaboração do seu relatório quanto você levaria a administração das finanças do seu negócio e garanta uma análise séria e responsável das informações obtidas.

Não saber administrar os dados obtidos

Outro ponto que pode também esbarrar no anterior, é a administração dos dados gerados.

A sua credibilidade estará em jogo caso você manipule alguma informação ao seu favor — não se esqueça que muitas pessoas tiveram acesso ao seu questionário e sabe quais respostas deram.

Por isso seja honesto com você mesmo e com o seu público e não corrompa os dados obtidos ao seu favor.

Porém, mesmo sem querer, seja pela falta de experiência ou por algum deslize, é possível que você não saiba exatamente o que fazer, como cruzar os dados, como obter novas informações a partir disso etc.

Então, não se incomode em pedir ajuda, pesquisar sobre o assunto, ou mesmo contratar uma pessoa ou uma empresa especializada.

Sabemos que isso pode dar um trabalhão, mas ao mesmo tempo os resultados obtidos podem mudar o rumo do seu negócio. Por isso certificamos que, se bem feito, todo esforço valerá a pena.

Não ter uma persona clara

Outro ponto comum e que pode colocar a sua pesquisa a perder é não ter uma persona clara, para divulgar o questionário.

Assim como qualquer ação de Marketing, uma pesquisa precisa, além de um objetivo, de um público específico que atenda a alguns pré-requisitos relacionados à sua área de interesse.

Por exemplo: se a sua pesquisa tem como objetivo entender o perfil dos profissionais de Marketing no país, você precisa divulgá-la para profissionais de Marketing, donos de agências, gerentes do setor… que são as pessoas com conhecimento suficiente para atender à sua demanda.

Não adianta fazer as perguntas certas para as pessoas erradas, afinal isso poderá corromper os seus resultados e prejudicar toda a pesquisa.

Por isso, tenha claramente em mente quem são as pessoas interessadas e que ao mesmo tempo tenham um perfil compatível com o foco do seu relatório.

Como elaborar uma boa pesquisa: o passo a passo

Agora que você já sabe exatamente o que não deve fazer na hora de criar uma pesquisa, vamos entender qual é o passo a passo para criar um bom relatório e colher todos os bons resultados desse conteúdo.

1- A ideia

O primeiro passo é ter uma ideia original e que represente valor para alguém. Como já dissemos, para isso você precisa de um objetivo claro.

Tente não ser óbvio ou responder a perguntas que outras pessoas já responderam. Por exemplo: para que fazer uma pesquisa sobre perfil dos usuários do Facebook, uma vez que o próprio Facebook já fornece essas informações?

A não ser que você vá trabalhar com dados muito específicos, saia do convencional e pense em problemas, tendências, comportamentos ou perfis que a sua empresa responderá melhor que nenhuma outra, através das respostas da sua audiência.

Sem um propósito, possivelmente você e terá muito trabalho para elaborar um relatório que ninguém terá interesse em acessar.

2- O público

Agora, relacione esse problema ao seu público e reflita: eles se interessarão por isso? Eles estarão dispostos a responder? Estou sendo invasivo demais?

Independentemente de a sua pesquisa ser de uso exclusivamente interno — para montar a sua persona, por exemplo — ou que gere um material incrível no final, você precisa ter um público disposto a interagir, respondendo o seu questionário.

3- O cronograma

Depois dessas etapas, é fundamental montar um cronograma da sua pesquisa. Afinal, são muitos passos e pode ser que você se perca em algum deles ou mesmo acabe desistindo por não vencer a próxima etapa.

Por isso, é muito importante estipular prazos e trabalhar com uma margem de segurança entre as etapas — pode ser que você precise deixar, por exemplo, o questionário no ar por mais tempo do que imaginava para alcançar o número de respostas necessário.

Um bom começo é pegar esse passo a passo e colocar datas para cada uma dessas ações. Possivelmente, na primeira tentativa, você terá alguns erros de cálculo, mas não se preocupe: isso é comum e você aprenderá muito com os percalços do processo.

4- O questionário

Essa será uma das etapas mais trabalhosas do seu processo — mas não se preocupe: valerá a pena.

Isso porque muitas pessoas não sabem como transformar a hipótese em perguntas que validem ou não a teoria, e acabam restringindo demais as respostas ou abrindo margem para dados que não serão utilizados.

Lembre-se também que o questionário deve ter tamanho suficiente para que você consiga tirar conclusões relevantes a partir da análise dos resultados. Por isso você não deve pecar nem pela falta, nem pelo excesso.

Quanto mais específico e complexo for o seu tema, mais detalhadas precisarão ser as suas perguntas. Mas não deixe seu questionário ficar enorme! Quanto maior, mais participantes desistem de chegar ao fim.

Também vale lembrar que a linguagem e clareza das informações serão parte fundamental e poderão influenciar no seu resultado. Tenha em mente a persona do seu relatório 100% do tempo em que estiver elaborando essas perguntas.

Uma dica importante e que funciona para nós aqui na Rock Content é validar o questionário com um grupo pequeno de pessoas antes de lançá-lo. Elas ajudarão você a entender se as questões estão mesmo claras e se existe algum erro ou contradição no formulário.

5- A divulgação

Com o questionário pronto e validado, é hora de hora de divulgá-lo (para as pessoas certas, claro).

Se você tem uma boa base de contatos de email, esse é um ótimo primeiro passo. Mas não se limite a esse disparo.

Crie um cronograma de divulgação em diversos canais, usando horários e chamadas diferentes.

Você pode, por exemplo, usar a técnica do 4x4x4 e divulgar o seu questionário em 4 dias e horários diferentes, usando 4 chamadas diferentes em suas redes sociais.

Já por email você pode fazer tanto disparos segmentados e criar assuntos diferentes para cada um, quanto fazer um grande disparo e reenviar para os contatos que não abriram o email usando uma outra chamada.

Além disso, que tal fazer parcerias de divulgação? Se você já faz uma estratégia de conteúdo e tem o hábito de realizar  guest posts e afins, pode negociar divulgações com os seus parceiros.

Também vale post no blog, divulgação em grupos no LinkedIn ou Facebook e onde mais você encontrar a sua persona — claro, sem ser incômodo ou intrusivo! O importante é que o maior número de pessoas com perfil de respondente tenha acesso ao seu questionário.

6- A análise dos dados

Dado o prazo e acompanhando o número de respondentes, é hora de juntar todas essas respostas e começar a análise.

Antes de tirar qualquer conclusão, a dica de ouro é organizar os dados obtidos. Para isso, uma boa e velha planilha poderá ajudar.

A ideia é que seja o mais fácil possível comparar respostas, analisar percentuais e construir resultados.

Além disso, retire os dados que tenham sido invalidados por qualquer motivo: poucos respondentes, respostas desconexas, dados discrepantes demais ou similares.

A seguir,  é chegada a hora de identificar o perfil dos participantes por meio dos dados demográficos. Essas informações ajudam a aumentar a credibilidade e também a entender melhor os resultados obtidos.

Por fim, é preciso relacionar as informações geradas, tanto para obter as respostas diretas — ou seja, aquelas obtidas pelos dados de cada pergunta individualmente — quanto para gerar novos insights relacionando respostas diferentes.

Esse segundo tipo de resultado deixa sua pesquisa ainda mais rica, mas deve ser feito com cautela e atenção para não invalidar nenhuma informação.

7- Montagem dos gráficos e tabelas

Os dados da sua pesquisa irão gerar os seus próprios dados de análise, certo? Com porcentagens, relações e diversas outras informações.

A partir dessa análise é que você construirá os gráficos e tabelas da sua pesquisa, tanto para facilitar a sua compreensão e avaliação, quanto para simplificar o entendimento do leitor.

Essa etapa precisa de muita atenção e organização, afinal você estará lidando com diversos números e resultados diferentes, e precisará de um olhar crítico para identificar qual o melhor formato visual para essas informações.

8- Produção do texto

A produção do conteúdo textual da sua pesquisa só acontecerá depois da validação de todos os dados e gráficos gerados, para evitar retrabalhos.

O seu principal objetivo com o texto deve ser explicar de maneira imparcial e analítica quais foram os resultados obtidos, introduzindo a informação presente nas tabelas e afins.

9- Diagramação

Tão importante quanto o próprio conteúdo será a disposição desses dados em um documento.

A ideia é tornar a compreensão dos dados a mais fácil possível, para que o leitor consiga compreender as informações e também tirar os seus próprios insights.

Óbvio que construir uma identidade para a sua pesquisa relacionada à sua marca é fundamental, mas mais ainda é a experiência do usuário com o resultado final.

Por isso, revise a diagramação quantas vezes forem necessárias, validando-a com outras pessoas, conferindo os valores e gráficos, entendendo se o posicionamento das informações facilita ou dificulta a leitura e tudo mais que contribuir para que o relatório seja funcional e gere resultados!

Fiz a pesquisa, e agora?

A pesquisa está pronta, os dados estão excelentes, os gráficos já foram montados e você conseguiu tirar várias conclusões incríveis! Excelente.

Agora é a hora de colocar a mão na massa efetivamente, para entender como esses resultados impactam o seu negócio e quais ações você poderá tomar a partir deles.

Internamente

O primeiro passo é reunir as pessoas chave, interessadas no resultado desse trabalho, e apresente os dados gerados. É importante que nessa reunião pessoas de diferentes setores — e com isso, com diferentes pontos de vista sobre o seu negócio — estejam presentes.

Depois, criem juntos um plano de ação, seja para fortalecer os pontos positivos percebidos pelo relatório, seja para aproveitar uma oportunidade observada através dos resultados, ou mesmo para corrigir alguma questão que não tinha sido notada antes.

É fundamental para o seu negócio que os dados não sejam apenas para entender uma situação, mas sim para melhorar sua entrega, seus produtos qualquer outro aspecto da sua empresa.

Externamente

Caso você perceba que a sua pesquisa pode gerar um valor muito importante para o seu mercado — ou você criou o relatório com esse objetivo — agora é hora de mostrá-lo ao mundo.

Para isso, crie um plano de divulgação da pesquisa, garantindo que o maior número de interessados possível tenha acesso a ela.

Você pode começar enviando os resultados para os respondentes, afinal eles se dispuseram a cooperar com você nessa jornada.

Além disso, vale fazer adwords, publicações em social, postagens no blog, envio de emails para a sua base, divulgação na mídia por meio de press releases… tudo o que fizer sentido para você e para o seu público!

Outras utilidades para os dados

O uso dos dados obtidos em pesquisas não pára com o relatório!

Você conseguirá extrair mais informações e materiais a partir do resultado, e deve utilizar ao máximo esses dados — afinal, eles deram um trabalhão!

Veja algumas possibilidades!

Infográficos

Infográficos são uma excelente maneira de tornar dados mais compreensíveis e o consumo mais fácil para o público.

Por isso, cada pesquisa poderá gerar um ou mais infográficos com as principais informações, significando conteúdos extras para a sua estratégia e também mais uma maneira de gerar valor para a sua audiência.

Aqui na Rock Content todas as nossas pesquisas se transformam em infográficos que fazem tanto ou mais sucesso que os próprios estudos, como o caso da nossa pesquisa Content Trends.

content trends 2017 infográfico

Conteúdo para Social

Os dados mais importantes, individualmente, falam por si. Por isso, que tal transformá-los em imagens ou vídeos curtinhos para usar nas suas redes sociais?

É simples, prático, mais uma vez de fácil consumo, e ainda ajuda a nutrir os seus seguidores com conteúdo relevante.

Material para o seu time de vendas

Outra boa possibilidade é criar, a partir da análise dos dados da sua pesquisa, apresentações e outros conteúdos utilizáveis por vendas.

Assim o seu time comercial será munido de informações que podem servir como argumentação de vendas, vencendo objeções e aumentando a autoridade do vendedor no processo e a credibilidade da sua empresa diante do prospect.

Oferta individual dos gráficos

Especialmente se você faz parte de uma empresa com perfil B2B, os seus potenciais clientes poderão se interessar pelos resultados da sua pesquisa para uso próprio.

E muito melhor que deixar que eles tirem prints dos conteúdos é fornecer esses gráficos e tabelas para download — é claro, com o seu logo lá no cantinho.

Assim a sua geração de valor ultrapassará barreiras e, além de ser útil, você poderá ser visto por outras empresas, tomadores de decisão e potenciais clientes.

Não tenho mãos suficientes para elaborar um material assim. Quais são minhas opções?

Muito legal. Mas essas pesquisas dão um trabalhão. E o meu time não pode parar para se dedicar a isso. O que eu posso fazer?

Não se preocupe. Você tem outras opções e nós as listamos aqui!

Projetos menores

Você pode começar fazendo projetos menores internamente, como pesquisas mais concisas e que gerem relatórios mais curtos, identificando assim se esse material realmente produz bons resultados para o seu negócio.

Como já mostrado, infográficos, por exemplo, são uma boa maneira de compilar dados de uma pesquisa e podem levar menos tempo que um relatório detalhado.

Além disso, com um pequeno projeto você aprenderá com os erros e acertos e conseguirá elaborar um processo próprio e realmente eficaz de construção de pesquisas.

Parcerias

Mais uma opção é fazer parcerias com outras empresas, obviamente que não sejam concorrentes, mas que tenham interesses e personas em comum com você.

Assim você poderá “dividir” o trabalho com outra equipe de Marketing, e cada uma trará a sua maior força para dentro do projeto — uma pode ficar responsável pelo texto e a outra pela diagramação, por exemplo.

Além disso, um parceiro significa  2 vezes mais divulgação e 2 vezes mais chances de gerar leads, o que é vantagem para todo mundo!

Terceirização

Por fim, se você deseja começar com um projeto robusto e sabe que esse formato vai chamar muito a atenção dos seus potenciais clientes, gerando valor e aumentando a sua autoridade, você pode terceirizar o serviço com a sua agência ou com uma empresa especializada em conteúdo.

Além de poupar tempo e trabalho, você terá a confiança de que terá um bom resultado nas mãos.

Nós da Rock podemos te ajudar! Caso tenha interesse em saber mais sobre essa possibilidade, fale com um de nossos consultores!

Conclusão

Você deve ter percebido quantos benefícios uma única pesquisa pode trazer para o seu negócio e também para a sua audiência.

Agora imagine quantas oportunidades você pode gerar fazendo esse tipo de material com alguma recorrência, seja por meio de pesquisas diferentes a cada intervalo de tempo ou atualizando a sua pesquisa mais relevante anualmente?

Pense fora da caixa e faça da geração e análise de dados uma mina de boas informações, bons leads e de bons negócios para a sua empresa.

Nós sabemos que esses processos são trabalhosos e demorados. Mas também sabemos, por experiência própria, que poucos conteúdos geram resultados tão efetivos e relevantes, abrangendo tantas áreas do negócio, quanto as pesquisas.

Se você tiver ficado com alguma dúvida ou ainda estiver inseguro sobre as possibilidades, entre em contato com a gente! Será um prazer ajudar sua equipe!

pesquisas de marketing