Artigos

Plataformas digitais: o que é e como as grandes empresas do mundo utilizam?

plataformas digitais

Uber, Airbnb, Facebook, Amazon e até mesmo Google e Apple. Além de serem empresas de altíssimo valor de mercado elas têm algo em comum: todas possuem o modelo de negócios com base em plataformas digitais.

Apesar de tudo que tem se discutido sobre era digital e indústria 4.0, muitas empresas ainda não estão preparadas para os processos de inovação disruptiva que tem se tornado cada vez mais frequentes e inevitáveis.

Mesmo que você — ainda — não esteja sentindo como tais tecnologias provocam uma mudança nos parâmetros do comportamento do seu consumidor, vale a pena se antecipar e entender um pouco mais sobre como os efeitos de rede gerados pelo modelo de plataformas digitais vão impactar diretamente o seu negócio.

Plataforma digital: o que é?

Uma plataforma nada mais é do que um modelo de negócios que utiliza a tecnologia com o intuito de conectar pessoas e promover interações. Ou, em linguagem comercial, as plataformas visam otimizar ao máximo o encontro da demanda com a oferta.

Além disso, as plataformas possuem infraestrutura adequada, na maior parte das vezes com cloud computing e utilizando recursos de Big Data para permitir que essas informações sejam possíveis e, sobretudo, relevantes.

David Rogers — professor da Columbia School e autor do livro: “Transformação Digital: Repensando o seu negócio para a era digital” — explica que, na verdade, a ideia de plataformas como modelos de negócios, originou-se das teorias econômicas de mercados bilaterais, nos quais um negócio serve a dois tipos diferentes de clientes que também dependem um do outro.

Parece simples, mas o fato é que os efeitos gerados pelas plataformas têm interferido drasticamente no cotidiano dos usuários, afetando não só as relações de negócio, mas também as relações humanas e a sociedade como um todo.

Tais tecnologias tem transformado profundamente os parâmetros de negociação e mercado em larga escala e são, cada vez mais, uma tendência mundial. A transformação digital impacta diretamente as relações e formas de consumo e é por isso que sua empresa precisa investir rápido em economia criativa.

Modelo de negócios de plataforma: como funciona?

Como a origem da teoria econômica dos mercados bilaterais, um modelo de negócios de plataforma digital funciona de maneira multilateral. Ou seja, permite interação e troca entre as partes a fim de aumentar a geração de valor.

É importante ressaltar aqui que o grande capital das plataformas é a informação. É por meio da capacidade tecnológica e da ciência de dados, que conseguimos disseminar as informações, e que as interações e negociações se tornam possíveis.

Pipeline x Plataformas Digitais

Nos mercados tradicionais o conceito de pipeline é bastante comum. É o sistema utilizado por grande parte das empresas com o intuito de criar e transferir valor, com lugares fixos para produtores e consumidores.

O pipeline é considerado uma cadeia linear de valor, uma vez que segue um único caminho: a empresa produz, coloca o produto ou serviço à disposição do mercado e o cliente compra.

Já nos modelos de plataformas, que funcionam de maneira multilateral, produtores, consumidores e até mesmo a ferramenta, estabelecem um conjunto variável de interações e trocas de valor.

Ao invés de seguir um caminho único, a geração de valor é criada e pode ser até mesmo modificada de acordo com as demandas dos usuários. Além disso, todos os usuários têm participação ativa nos processos, por vezes desempenhando, inclusive, diferentes funções.

A mudança do sistema tradicional para os modelos de plataformas vem tendo inúmeras implicações nos processos e resultados de negócios por alterarem não só a forma das relações de interação e consumo, mas todo o mindset de negociação usual.

O modelo de plataformas ultrapassa o pipeline em diversos aspectos, por exemplo quando elimina intermediários — também chamados gatekeepers — nos processos. Tomemos como exemplo a plataforma Kindle da Amazon, que permite que autores publiquem seus e-books direto para os consumidores, sem a necessidade de um editor.

Assim, além de expandir drasticamente as possibilidades de negócio, a eliminação de gatekeepers também reduz custos e deixa os processos mais transparentes e ágeis, permitindo uma maior negociação.

Outro ponto de destaque das plataformas em relação aos pipelines é que, por meio da interação, feedbacks e pontos de melhoria nas ofertas podem ser constantemente avaliados e melhorados de forma contínua, gerando benefícios para todas as partes.

Além disso, as grandes empresas vêm utilizando dados como ativos poderosos e investindo, cada vez mais, em suas plataformas, com o uso de recursos como Inteligência Artificial — o que torna os resultados mais exatos.

Efeitos de rede: como impactam diretamente o seu negócio

Talvez o grande diferencial das plataformas digitais sejam os impactos causados devido aos efeitos de rede. Grosso modo, com o modelo de negócios multilateral cada vez mais pessoas podem participar da interação e isso gera mais resultados que podem afetar tanto as empresas quanto os usuários.

Os efeitos de rede estão diretamente relacionados ao impacto exercido por toda a comunidade de usuários de uma plataforma e sobre o valor que pode ser criado para cada um deles, individualmente.

Vejamos um exemplo claro como o Aribnb:o mesmo usuário pode ser, ao mesmo tempo, hóspede e anfitrião. Mas também pode optar por ser apenas hóspede ou apenas anfitrião. Tudo isso intermediado pela plataforma com o intuito de geração de valor para as partes envolvidas.

Quanto mais pessoas se cadastram como anfitriões, mais possibilidades a plataforma tem de aumentar o mercado e oferecer possibilidades para os hóspedes. Por outro lado, quanto mais pessoas procuram locais para se hospedar, mais os anfitriões poderão ganhar e ter seus quartos reservados.

Assim, os efeitos de rede se tornam um emaranhado profundo de trocas e interações.

Com a utilização da tecnologia e algoritmos cada vez mais complexos, as novas plataformas conseguem uma ampliação exponencial do alcance, velocidade e interação gerados no negócio e permitem até mesmo possibilidades reais de expansão de market share.

Market Share

O caso da Airbnb é um ótimo exemplo para entender melhor o modelo de negócios e entender como a expansão do market share se torna possível. Antes da plataforma, as redes hoteleiras apenas precisavam se preocupar com a concorrência local. Era possível fazer uma análise completa da concorrência e, em cima disso, trabalhar os diferenciais.

Após a chegada da Airbnb, os hotéis passaram a ter concorrentes de mercado “desconhecidos”. Por outro lado, a Airbnb expandiu o espaço de mercado ao oferecer mais oportunidades de hospedagem.

Além disso, enquanto as redes de hotéis têm limitações financeiras e físicas, uma vez que, se quisessem expandir o market share precisariam investir nas construção de novos empreendimentos, o Airbnb — considerado hoje a maior rede de hospedagem mundial — não possui nem um único quarto.

Como o ambiente virtual não tem limite para transações é possível tornar a experiência da hospedagem escalável e expansível quase que indeterminadamente.

Plataformas digitais: comportamentos e não tecnologia

Com tantas possibilidades é fácil pensar que as plataformas digitais dizem respeito apenas às tecnologias. Mas a verdade é que as mudanças promovidas são comportamentais. A tecnologia é só a ferramenta que torna tais interações comportamentais possíveis e, cada vez mais, expansíveis.

Na verdade, toda transformação digital pressupõe uma alteração no mindset. Um modelo de negócios de plataforma pressupõe um mindset que abranja todo o comportamento do consumidor que sustenta a lógica de geração de valor para o usuário.

Também os usuários se tornam cada vez mais experientes e ativos no processo. Assim como diversos paradigmas comportamentais foram alterados com a transformação digital, os novos modelos de negócios precisam estar baseados em soluções ligadas à esses mesmos comportamentos.

Um bom exemplo aqui é o caso da Apple. A empresa, que começou como fabricante de computadores, se consolidou no mercado como plataforma, especialmente após o investimento na Apple Store e na Apple music. A marca não vende aparelhos, vende soluções completas e valor simbólico agregado.

Não precisa ser um Steve Jobs para perceber as reais necessidades do consumidor, mas é preciso promover uma cultura de inovação, o que muitas vezes, implica em uma alteração completa no seu mindset empresarial.

Invista sim em tecnologia e recursos. Utilize dados como ativos, mas lembre-se que o objetivo é entregar o valor que seu cliente/ usuário precisa.

Plataformas de negócios e transformação digital: por que você precisa repensar o seu negócio

Como abordamos, a grande questão sobre a transformação digital é repensar seu modelo de negócio de acordo com o comportamento do consumidor.

Hoje, as plataformas digitais não são apenas softwares, mas um ecossistema complexo de usuários com diferentes anseios e necessidades. Ao mesmo tempo, com a quantidade de informação gerada é possível utilizar os dados como um valioso ativo, estabelecer conexões e interações reais em larga escala e entregar soluções que antes não seriam possíveis.

É inevitável que as plataformas digitais se consolidem cada vez mais como modelo de negócios estruturado. Com diversos recursos como Realidade Virtual, Internet das Coisas e a digitalização e virtualização de todas as relações cabe à sua empresa repensar o mindset e inverter os processos: é hora de falar menos sobre o seu produto e ouvir mais o seu cliente como parte ativa a fim de entregar mais valor se desejar se manter competitivo.

Como você pôde perceber o modelo de negócios de plataformas digitais já é mais do que uma tendência. É um recurso inevitável para grande parte do mercado. Não por acaso diversas das empresas mais valiosas do mundo utilizam e aprimoram a ferramenta a cada dia a fim de gerar mais possibilidades, valor e resultados.

Agora que você entende como as plataformas digitais podem impactar diretamente o seu negócio, que tal ficar por dentro de tendências do mercado e baixar a nossa pesquisa Content Trends para começar a sua análise de dados e ver como alavancar seus resultados?

Publicações relacionadas
Artigos

Um mundo sem Facebook: lições de planejamento após o apagão da rede social

Artigos

O que levou a Amazon a comprar uma farmácia online, e a próxima revolução em saúde

Artigos

Como o vazamento de dados e a crise de privacidade podem impactar grandes empresas

Artigos

Ride sharing: a reinvenção das montadoras com o compartilhamento de veículos