Pesquisas

Post Satélite: conheça os Topic Clusters, a próxima evolução do SEO

post satélite

Mecanismos de busca influentes, como o Google, mudaram o algoritmo para favorecer os conteúdos de post satélite.

Isso quer dizer que o SEO (Search Engine Optimization) está explorando uma nova maneira de utilizar o link building como um agrupamento de posts em um post principal.

Isso acontece pois a competição entre os sites para se destacar nas SERPs é cada vez mais intensa e as práticas de SEO evoluíram para um novo modelo que valoriza cada vez mais os sites focados em conteúdos.

Esse agrupamento de conteúdo, chamado de Topic Clusters ocorre quando um post pilar funciona como núcleo e possui múltiplos links para conteúdos relacionados ou posts satélites, que por sua vez, linkam de volta para o núcleo.

Com o sistema de link building, o Google considera um conteúdo referenciado como relevante e aumenta a sua autoridade, mas valorizar a linkagem interna também é importante para você mostrar para o Google quais são os conteúdos mais relevantes do seu blog.

Além disso, o sistema de post satélite possui uma arquitetura de site mais organizada e limpa que facilita a visita do algoritmo do Google no seu site, pois este será guiado pelos links internos da página.

No post de hoje vamos falar sobre os benefícios dessa estratégia, como aplicá-la e aperfeiçoá-la no seu site.

Por que devo começar a utilizar esta estratégia de Topic Clusters?

Os motores de busca alteraram seus algoritmos em resposta às mudanças de comportamento dos consumidores, e por isso, os especialistas em Marketing Digital e SEO precisam rever a estrutura do site para suprir essas modificações.

Atualmente, as pessoas fazem buscas complexas e esperam encontrar um resultado preciso para as suas perguntas. Para suprir isso, os motores de busca evoluíram e agora conseguem reconhecer conexões entre assuntos e consultas.

Os algoritmos chegaram ao ponto de entender o contexto por trás da intenção da busca.

Após isso, eles gravam as consultas e contextos para que quando ocorra buscas similares, seja possível entregar as páginas que melhor atendem consultas futuras. Eles analisam os comportamentos dos usuários.

Uma das principais mudanças de SEO em relação a esse modelo foi na atualização do Google Hummingbird 2013, quando o algoritmo de pesquisa do Google passou a analisar a intenção da busca invés de se concentrar somente em palavras-chave.

Já uma outra mudança importante ocorreu com a atualização do Google RankBrain 2015, com um novo algoritmo de aprendizado que foi projetado para entender o contexto das consultas de pesquisa. Esse código relaciona as buscas anteriores a temas semelhantes, puxa várias palavras-chaves e frases que se associam à consulta e encontra melhores resultados.

Por causa dessas alterações, os links internos são utilizados para facilitar a navegação do usuário dentro do seu site e criar uma hierarquia de informações para mostrar o tema que é o mais importante.

Além de que, achar um post pilar através de uma short-tail ou palavra-chave genérica é muito mais difícil, já que a concorrência de primeiro lugar na SERP é muito grande.

Isso acontece, pois quando um usuário faz uma pesquisa de palavras-chave long-tail e acha os seus posts satélites em primeiro lugar na página, fica mais fácil de ele visitar o seu post pilar através de uma linkagem interna.

Vamos explicar como isso beneficia o seu site e como você pode colocar está estratégia em prática!

Como isso se beneficia o meu site?

De acordo com Anum Hussain e Cambria Davies, da HubSpot, quanto mais links internos um blog tiver, maior será o número de visualizações da página e melhores serão as posições nas SERPs (Search Engine Results Page ou em português página de resultados de uma busca).

Mais linkagem interna é igual a uma melhor posição na SERP

Consequentemente, é exatamente nas SERPs que o problema vai surgir se você não investir na linkagem interna.

Ao adotar uma estrutura complexa, sem linkagem uniforme, os motores de busca terão dificuldade para rastrear todas as páginas rapidamente.

Além disso, muitas empresas, assim como a HubSpot e a Rock Content, produzem inúmeros conteúdos com tópicos similares, o que faz com que as páginas encontradas compitam entre si para ter as primeiras posições na SERP.

Portanto, um agrupamento mais ordenado se torna necessário para que uma página núcleo seja priorizada diante as outras e exibida como principal no tópico abordado.

Um exemplo muito utilizado para explicar como a linkagem interna pode beneficiar o seu site é o blog post que nos ajudou a gerar R$436.000 em novos negócios em apenas 16 meses.

No final de 2014, nós identificamos uma oportunidade de rankear para a palavra “Marketing Digital”. Investimos muito na criação de links internos a partir de palavras-chave relacionadas.

Hoje possuímos conteúdos para cada palavra-chave desta lista que funcionam como satélites para o post de Marketing Digital.

blog-post-de-500-mil

Como será a estrutura de posts satélites do meu site?

A estrutura será como uma rede de posts satélites que linkam para um conteúdo pilar, e estes, por sua vez, linkam para estes satélites, formando um Topic Cluster.

Ao vincular os conteúdos internos em uma página pilar, os mecanismos de busca, como o Google, podem facilmente verificar todo o conteúdo e identificar uma relação semântica entre eles.

Essa configuração de uma nova arquitetura também sinaliza a profundidade do conteúdo. Fato que proporciona uma maior autoridade.

Assim, os algoritmos, como o RankBrain do Google, recompensam a ligação ordenada com uma maior posição nas SERPs.

Como faço para criar esta estrutura de Topic Clusters?

Para te ajudar a criar a sua estrutura de organização de conteúdo no site fizemos uma checklist. Confira:

1) Verifique suas páginas de conteúdo e agrupe-as por tópicos

Primeiramente, encontre os principais tópicos que são os mais competitivos para você por meio de ferramentas de pesquisa de palavras-chave.

Crie uma página com um conteúdo núcleo que possa linkar outros posts satélites. Como por exemplo, na página pilar sobre Marketing Digital, é possível linkar conteúdos como:

  • Como trabalhar com Marketing Digital?;
  • Os 8 Ps do Marketing Digital;
  • Livros de Marketing Digital;
  • Ferramentas de Marketing Digital;
  • Métricas de Marketing Digital.

esquema de post satélite

Desta forma, você terá uma maior facilidade de se organizar nos conteúdos que terá que escrever e de construir a estrutura dos links internos dentro do seu blog.

2) As páginas do pilar precisam abranger o tópico em que você está focado

A partir da pesquisa de palavra-chave você saberá que sua estratégia vai estar orientada à partir de dados concretos.

Então, não se esqueça de como é necessário que a escolha dos conteúdos linkados no post satélite faça sentido.

Além de que, o conteúdo que você cria ou otimiza deve se aprofundar em apenas uma área mencionada na página.

3) Pense nos tópicos que a sua empresa deseja rankear

Foque nos tópicos que você quer rankear, em vez de pensar somente em palavras-chave menores ou menos relevantes para o alcance dos seus objetivos em marketing.

Elas podem até te ajudar na sua estratégia geral, mas são os tópicos que servem como um guarda-chuva sob o qual a sua estratégia de palavras-chave atua.

Para saber se a sua escolha de tópico para a página está boa, se faça a pergunta: Esta página responderia à pergunta do leitor e é ampla o bastante para abrigar muitos links internos? Se a resposta for sim, você está no caminho certo.

4) Atualize os links nas páginas de conteúdos relacionados

Após definir sua página pilar, atualize os links dos posts satélites relacionados para formar uma estrutura em torno dela.

Cada publicação no conjunto da estrutura precisa ser vinculada pelo menos uma vez ao texto pilar para que um mecanismo de pesquisa reconheça o agrupamento dos tópicos.

Ao longo do tempo, você pode monitorar o ranking da página pilar nos motores de busca.

Quando seu ranking se estabilizar e sua autoridade sobre o assunto crescer, você pode seguir a cadeia de agrupamento, vinculando-a a um novo tópico relacionado.

5) Crie conteúdo, avalie o impacto e aperfeiçoe

Para acompanhar o conteúdo e os links dentro de um agrupamento de tópicos é importante documentar a sua estratégia.

Lembre-se que sua estratégia de agrupamento depende da complexidade do tópico e do número de páginas às quais você está vinculando.

Muitas empresas também estão desenvolvendo ferramentas para ajudar as equipes de marketing a organizar conteúdo em torno de tópicos.

O MarketMuse, por exemplo, identifica lacunas de conteúdo e pode ajudá-lo a organizar e otimizar o conteúdo por grupo de tópicos.

MarketMuse

Conclusão

O SEO evoluiu e a sua empresa precisa acompanhar essas mudanças para se colocar em uma boa posição nas SERPs.

É hora de focar no sistema de posts satélites e agrupamento de tópicos do seu site para deixá-lo mais organizado e aumentar sua autoridade e rankeamento.

Além de acompanhar esta evolução, não podemos esquecer de estar sempre avaliando a estratégia e aperfeiçoando-a. Para isso, existe as plataformas que facilitam o gerenciamento, como o próprio Google Analytics e o SEMRush.

Para saber mais sobre tendências de SEO e sobre o que as empresas brasileiras estão fazendo para otimizar os seus sites, confira a nossa pesquisa SEO Trends 2017. São 65 páginas com diversos insights para sua estratégia de SEO.

Pesquisa SEO Trends 2018

Publicações relacionadas
Pesquisas

Content Trends 2019: participe da maior pesquisa de Marketing de Conteúdo do país

Pesquisas

Social Media Trends 2019: panorama das empresas e dos usuários nas redes sociais

Pesquisas

Como preparar a sua agência para o próximo ano por meio de dados?

Pesquisas

E-commerce Trends 2018: dados estratégicos para lojas virtuais