Desenvolva sua equipe

Vale do Silício: empresas que podem te trazer insights valiosos

Vale do Silicio

Vale do Silício. Mais conhecido como Silicon Valley.

A região da Califórnia é famosa graças às grandes organizações de tecnologia que despontaram por lá e desperta interesse e curiosidade de grandes empreendedores à estudantes.

Podemos dizer que as empresas localizadas no Vale são agentes fomentadores das grandes mudanças disruptivas e comportamentais da nossa era digital.

Se você deseja saber algumas das principais estratégias adotadas pelas principais organizações do Silicon Valley para aplicá-las ao seu negócio, continue acompanhando!

Faça o download deste post inserindo seu e-mail abaixo

Não se preocupe, não fazemos spam.
Powered by Rock Convert

O começo: o Vale do Silício nos anos 50

O desenvolvimento tecnológico da região, que conta com cidades como São Francisco, Palo Alto, San Jose, Sunnyvale, Los Gatos entre outras, teve início bem antes do “boom” do Silicon Valley.

Para entender mais, precisamos recorrer à história: logo após a Segunda Guerra Mundial, teve início a Guerra Fria e os Estados Unidos logo perceberam a necessidade de investir em tecnologia e ciência. Era o fortalecimento da “era da informação”.

A região era propícia ao desenvolvimento devido aos inúmeros benefícios fiscais. Com o crescimento do número de organizações, mais Universidades também se instalaram na região, criando assim um ecossistema de incentivo à educação, conhecimento, tecnologia e novas pesquisas.

O nome “Vale do Silício” foi usado pela primeira vez em 1971, pelo investidor Ralph Vaerst. O Silício, elemento químico número 14 da tabela periódica é o principal componente dos processadores produzidos pelas empresas de tecnologia na fabricação de produtos: de smartphones aos computadores e, até mesmo, televisores.

Silicon Valley: um ecossistema de inovação

Sim, é fato que o Silicon Valley trouxe um ambiente favorável ao desenvolvimento e inovação. Mas não é só isso.

Reid Hoffman — CEO e Co-Founder do LinkedIn e apresentador do Podcast Masters of Scale — afirma que “o Vale do Silício é muito mais do que um arquipélago de empresas de tecnologia. É um ecossistema profundamente interconectado […] Você precisa de empreendedores com ideias. Mas você também precisa de pessoas capacitadas em todas as disciplinas necessárias em todas as empresas, em todos os processos”.

Com a fala de Hoffman, podemos perceber o primeiro insight para uma estratégia inspirada nos moldes do Vale do Silício: a diversidade. De negócios às pessoas.

Estimule uma alteração no mindset empresarial tradicional. Crie uma cultura de inovação e contrate pessoas com diferentes perfis: “não apenas engenheiros e gerentes de produto — mas também advogados, contadores, profissionais de marketing, recrutadores, gênios operacionais. Você precisa de lugares para eles se reunirem e meios de comunicação para compartilhar suas ideias”.

Vale do Silício: as 10 principais empresas da região e suas estratégias de negócio

Mas nem somente de grandes recursos tecnológicos, como a Inteligência Artificial e o Big Data, vivem as empresas do Vale do Silício. Vejamos como algumas das grandes líderes da transformação digital investem em estratégias que podem, inclusive, ser aplicadas ao seu negócio.

1. Google: nade em um oceano azul

Talvez a empresa mais conhecida dessa lista. Mas, além de ser, de longe, o maior buscador de busca, o Google também trabalha com publicidade online, desenvolvimento de softwares e hardwares, cloud computing e APIs. Ou seja, a Google hoje não oferece apenas um produto, mas uma plataforma de negócios.

A estratégia principal utilizada pela empresa para conseguir um negócio tão escalável é o que chamamos em business de “Oceano Azul”: quando o Google firmou-se como buscador de internet criou também uma nova mídia, afinal, os chamados “links patrocinados” não existiam até então. Assim, a empresa estava “nadando em um oceano azul”, no qual não enfrentava nenhum tipo de concorrência.

2. Apple: defina o posicionamento da marca

A primeira empresa da história a atingir valor de mercado de um trilhão de dólares, a Apple figura como uma das empresas de destaque do Vale do Silício.

Quando falamos em estratégia de negócio, talvez o ponto mais forte da Apple tenha sido, desde sempre, o posicionamento de marca. Desde quando ainda usava o slogan “Think Different” e perfeitamente representada por Steve Jobs, a marca consegue vender um valor simbólico ainda maior do que o valor funcional de seus produtos.

3. Airbnb: entregue a melhor experiência

Hoje a Airbnb é a maior rede hoteleira do mundo. Porém, um detalhe chama a atenção: a empresa não tem nem uma única propriedade. Como a organização conseguiu tal resultado? A resposta parece simples: focando na experiência do cliente e então, utilizando o modelo de negócios de plataforma para escalar tal experiência.

Brian Chesky afirma que toda a estratégia foi inicialmente pensada com o intuito de criar valor entregando a melhor experiência: “Minha ‘marca’ começou com o que eu queria que minha experiência despertasse nas pessoas: eu queria criar algo memorável”.

4. Netflix: leve a sério a cultura empresarial

De acordo com Reed Hastings, CEO e Founder da Netflix, um dos pontos diferenciais para o sucesso da do serviço de streaming mais comentado da atualidade foi levar a cultura empresarial a sério.

Para Hastings a cultura é um ponto crítico para empresas que desejam escalar seus negócios, já que, com times tão diversos, definir valores para que exista um ponto de interesse comum e, assim, cada pessoa da organização possa entregar o melhor trabalho é essencial.

5. Tesla: lembre-se do “first-principle thinking”

Elon Musk é sinônimo de inovação. Atualmente, seu principal projeto é na Tesla, revolucionando o setor automobilístico.

O executivo foi um dos primeiros a utilizar a expressão “first-principle thinking”, tão comum no Vale do Silício. A frase tem origem na filosofia da Metafísica de Aristóteles. A teoria propõe que os “primeiros princípios” sejam questionados até ficar apenas com a verdade essencial de qualquer situação.

Em business, o “first-principle thinking” diz respeito ao questionamento dos processos e deduções, visando melhores tomadas de decisão para as organizações.

6. Facebook: “fail fast”

O início do Facebook foi em Harvard, no estado de Massachusetts, mas se tornou uma organização escalável depois de estabelecer-se no Vale do Silício e traz, como grande lição, uma outra expressão bem conhecida no Silicon Valley: “fail fast”.

A expressão, que também é trabalhada por Eric Ries no livro “The Lean Startup”, é uma filosofia que diz respeito à experimentação de novas ideias e projetos. Quando tratamos de inovação é fundamental colocar o produto perto do usuário o mais rápido possível. Não espere “achar” que seu produto está 100% para testá-lo. Ou seja, disponibilize o MVP (produto mínimo viável) o quanto antes. Teste. “Fracasse rápido” e “Aprenda Rápido”.

7. Uber: entenda o contexto e as necessidades

Mobilidade é um problema dos grandes centros urbanos. Travis Kalanick e Garret Camp, fundadores da Uber estavam em Paris e não conseguiam encontrar um táxi. Foi à partir de uma necessidade vigente que surgiu a ideia do aplicativo por gps que está, a cada dia, revolucionando a indústria automobilística.

8. PayPal: procure identificar gargalos e transforme em oportunidades

Inovação tem mais a ver com trabalho e saber identificar gargalos e transformá-los em oportunidades do que em apenas ter ideias brilhantes. A plataforma de pagamentos PayPal é um exemplo claro dessa estratégia.

Inicialmente a empresa surgiu como uma plataforma de pagamentos dentro de uma outra plataforma de compras. Após uma transação, a PayPal passou a ser a plataforma de pagamentos exclusiva do Ebay.

No entanto, era o começo do “boom” do e-commerce. Muitos queriam fazer transações online, mas não havia formas seguras de realizá-las. Assim, a PayPal deixou de ser uma ferramenta exclusiva para se transformar em uma plataforma de pagamentos online.

9. Amazon: saiba diversificar e expandir

Desde sua criação, a Amazon nunca deixou de diversificar suas ofertas. Sempre com o intuito de expandir e escalar os negócios, a empresa, que começou vendendo apenas livros e logo ampliou para CDs, DVDs e fitas de VHS é, hoje, o maior marketplace do mundo e vende uma variedade enorme de bens de consumo.

10. Oracle: reforce sua presença digital

Mesmo grandes marcas já consolidadas como a Oracle têm investido, cada vez mais, em marketing digital: blogs com conteúdo relevante a fim de gerar brand awareness. A empresa aposta até mesmo em uma comunidade de blogs

Não é por acaso que até mesmo as maiores empresas do mundo vêm apostando em marketing de conteúdo como forma de estabelecer um relacionamento profundo entre usuários/consumidores e marcas.

Como você pôde ver, são inúmeras as estratégias adotadas pelas principais empresas do Vale do Silício para consolidar e escalar seus negócios. Para Reid Hoffman, não bastam as startups para que se possa criar o “novo Silicon Valley”. Para o executivo “você precisa de um fluxo constante de empreendedores e ideias, capital e empresas de todos os tamanhos. Você precisa de um ecossistema inteiro”.

E agora? Preparado para transformar seu ambiente empresarial no próximo Vale do Silício? Conheça os resultados da nossa pesquisa Content Trends – edição tecnologia e aproveite os dados e insights para planejar seus próximos passos!

Publicações relacionadas
ArtigosDesenvolva sua equipe

Como começar sua estratégia de marketing de conteúdo em 2019

Desenvolva sua equipe

Marketing de Conteúdo para Educação em uma estratégia concreta

Desenvolva sua equipe

Customer Success e onboarding: o segredo de uma aliança perfeita

Desenvolva sua equipe

Para a hotelaria sair da crise é preciso inovar digitalmente