Artigos

Empresas fazem venda direta e conseguem diminuir custos

Venda direta ajuda a diminuir custos

A venda direta configura um modelo de comercialização de produtos e serviços diretamente entre empresa e cliente, sem a necessidade de intermediários, como lojas ou revendedores.

Esse modelo de negócio cresceu consideravelmente e está se tornando uma opção interessante para novos empreendedores: as lojas virtuais se mostraram fundamentais para o crescimento das empresas e muitos negócios já nascem nesse modelo, adquirindo clientes dos quatro cantos do país através de um único clique.

Mas como essas empresas fazem esse tipo de investimento? A venda direta é a melhor alternativa para reduzir custos? Quem pode fazer esse tipo de negócio e como as marcas estão trabalhando nessa estrutura?

Faça o download deste post inserindo seu e-mail abaixo

Não se preocupe, não fazemos spam.
Powered by Rock Convert

Venda direta é caminho para redução de custos

A redução de custos é necessária em todos os cenários, mas, em tempos de crise, ter uma ferramenta de vendas muito mais eficiente e acessível, se comparado ao modelo tradicional de vendas, é uma excelente estratégia para garantir a competitividade e diminuir as chances de prejuízo por parte dos empresários.

A venda direta pode trazer redução de custos de diversas formas: desde a economia com funcionários e estruturas físicas, até a forma de se relacionar com os clientes.

Uma empresa que surge no ambiente digital e está focada no e-commerce, certamente tem custos menores. Nesse contexto, não será necessário ter uma loja física, uma estrutura com profissionais para atendimento, etc.

É preciso, em contrapartida, ter um site, uma pessoa responsável por receber, separar e encaminhar os pedidos (normalmente, o próprio empreendedor e seus sócios) e um lugar para armazenar o estoque.

Se houver grande variedade de produtos ou itens grandes, que ocupem muito espaço, é comum que sejam alugadas salas para funcionar como centro de distribuição.

No entanto, principalmente para empresas que estão começando, ter um ambiente de escritório em casa com estantes e armários já supre essa necessidade, reduzindo ainda mais os custos e proporcionando lucros mais interessantes.

Os esforços de comunicação da venda direta

Um detalhe importantíssimo que não pode ficar de fora são os esforços de comunicação. Quando começamos uma empresa do zero e lançamos produtos e serviços nas lojas de terceiros, é comum que esses ambientes já contem com alguns clientes fixos que, de uma forma ou de outra, entrarão em contato com a empresa no ambiente de compra.

Isso não substitui a necessidade de ter estratégias de comunicação, mas permite que pessoas conheçam o produto de forma orgânica, pois o ambiente em que os produtos estão inseridos já está maduro.

No entanto, o jogo muda se considerarmos uma empresa que está começando do zero para trabalhar com venda direta: é preciso que os empreendedores sejam capazes de construir uma reputação online, apresentar seus produtos e diferenciais e ter um investimento significativo em divulgação nas mais diversas plataformas, principalmente em redes sociais. Esse investimento é o que fará com que cada vez mais pessoas entrem em contato com a empresa e convertam como clientes.

Um movimento interessante sobre esse tipo de negócio é o surgimento de produtos e serviços criados por pessoas influentes. Um grande exemplo é a Sallve, uma linha de produtos de cuidados para pele comercializada pela Julia Petit, uma famosa blogueira de moda e maquiagem que já tem um público fiel e definido. Ela aproveitou sua influência nas redes sociais e lançou o seu produto através da venda direta, com investimento em comunicação e um atendimento próximo e diferenciado com seus clientes.

Grandes empresas podem ter mais dificuldade com essa estratégia

A venda direta é possível para as mais diversas empresas, de diferentes portes e segmentos. No entanto, esse modelo de negócio pode ser um pouco mais difícil para as grandes empresas, pois elas apresentam uma demanda muito maior e, por isso, precisarão de cuidados a mais para que a venda direta se torne eficiente.

Isso não significa que seja impossível, apenas que será necessário ter um investimento e esforços muito maiores para que esse modelo de atuação seja bem-sucedido e traga os resultados esperados.

Um pequeno negócio pode ser gerenciado de casa apenas pelos empreendedores, com um estoque em um escritório e um trabalho muito mais simples e prático. Já as grandes empresas, obviamente, não podem operar nesse formato.

Devido à alta demanda de produtos e serviços a ser atendida, uma grande empresa teria que contar com uma equipe capacitada para acompanhar e receber os pedidos, enviar para os responsáveis pela separação das encomendas e, por fim, enviar para o cliente. Nesse meio tempo, também será necessário ter bastante cuidado com a emissão de notas e registros fiscais para garantir que todas as condições do fisco sejam cumpridas.

Essa cautela é necessária porque, quando falamos de uma grande empresa, a quantidade de documentos fiscais a serem emitidos é considerável, e isso pode dar abertura para possíveis perdas.

Dessa forma, é possível perceber que, em uma grande empresa, por mais que seja factível realizar venda direta, será necessário ter uma estrutura robusta, com uma equipe focada e processos extremamente bem definidos. Em muitos casos, esses empresários optam por manter a estratégia de venda comum.

Marcas digitais nascidas verticais dão ideia de como a venda direta pode ser feita

A Sallve, mencionada anteriormente, se tornou um bom exemplo de marca digital que executa um excelente papel na venda direta. Conforme destacado, Julia Petit, blogueira de maquiagem que possui visibilidade na internet e uma grande quantidade de seguidores, decidiu criar uma marca de produtos eficientes para o cuidado com a pele do rosto.

A estratégia foi muito boa: como ela já tem uma rede de pessoas que consomem seus conteúdos e pedem por dicas de beleza, foi possível criar uma estrutura de divulgação nas redes sociais e vendas voltada para essas pessoas.

Além disso, ela estimulou os clientes a compartilharem nas redes sociais. No lançamento, sempre que alguém recebia sua caixinha com produtos, essas pessoas divulgavam o material de forma orgânica, fazendo com que cada vez mais pessoas tomassem conhecimento desta nova linha.

A entrega além das expectativas também é algo que precisa ser pensado para a fidelização de cliente e criação de um buzz positivo sobre a marca: quando o cliente compra um produto, ele compra também uma experiência. Significa que é importante entregar a melhor experiência possível.

Isso passa por um bom atendimento, oferta de brindes, um pequeno recado escrito à mão e outros detalhes que darão ao cliente a sensação de exclusividade e cuidado da empresa para com seus consumidores.

A venda direta permite que as empresas tenham um contato direto com seus clientes, estreitando os laços e garantindo uma transparência que pode ser fundamental para a fidelização dos consumidores e aumento da rentabilidade.

Quer aprender mais sobre isso? Leia nosso artigo Transparência em marketing gera resultados e aumenta confiança dos clientes.

Publicações relacionadas
Artigos

É hora de salvar a internet de nós mesmos

Artigos

Agentes da inovação

Artigos

A linguagem que conecta humanos e máquinas

Artigos

Fala que eu te escuto